Vida Urbana

Vacina contra H1N1: clínicas têm fila de espera de mil pessoas

Rede particular é procurada principalmente por pessoas que não fazem parte do grupo prioritário do sistema público. Vacinas são vendidas em média por R$ 150,00.



Rizemberg Felipe
Rizemberg Felipe
Na rede pública o Dia D de imunização está marcado para o próximo sábado (30)

As clínicas particulares de vacinação em João Pessoa já não têm previsão do recebimento de novos lotes de vacinas contra a gripe H1N1. Assustadas com o risco da doença e fora do grupo beneficiado pela vacina no sistema público de saúde, muitas pessoas têm recorrido a essas clínicas para fazer a prevenção da gripe. Mas, chegando lá, os clientes se deparam com uma lista de espera gigante e a falta de previsão para serem vacinadas.

Foi o que aconteceu com a dona de casa Analucia Santos, que foi duas vezes a mesma clínica de vacinação em busca da imunização para toda a família. “Na primeira vez, há cerca de um mês, me disseram que um novo lote chegaria no dia 20 e que não precisava pagar antes. Voltei no dia combinado e as atendentes me falaram que todas as que chegaram eram reservadas para quem tinha pago antes e não tinha previsão para um novo lote”, afirmou. “A atendente também me falou que a lista que eu havia assinado meu nome já tinha chegado a mil assinaturas. E não podia fazer nada, já que as vacinas não tinham chegado”, completa.

A vacina na clínica citada por ela é a tetravalente, que protege contra quatro subtipos do vírus da gripe, a única ofertada pelo estabelecimento, que comercializa a imunização a R$ 150,00. De acordo com Alergomed, uma das clínicas privadas que realiza a imunização, a campanha de vacinação foi encerrada por falta de vacina. O último lote de vacinação da clínica chegou há cerca de duas semanas, quando 300 pessoas foram imunizadas. O próximo lote deve chegar nesta sexta-feira (29), com a mesma quantidade de vacinas e deve beneficiar as pessoas que já deixaram o valor pago.

Ainda segundo a Alergomed, que funciona no bairro da Torre, como não há previsão de quando um novo lote deve chegar, a clínica não está mais fazendo uma lista de espera. Já na clínica Cevacina, no bairro de Miramar, o último lote chegou há cerca uma semana, mas também não há previsão de quando receberá novas vacinas. “Não temos mais como fazer uma lista de espera porque não há essa previsão. Está faltando a vacina no laboratório. Muitas pessoas estão procurando, mas não temos o produto”, informou uma funcionária.

Rede pública

Os primeiros grupos prioritários da campanha começaram a ser imunizados no último dia 13 nas unidades de saúde pública de João Pessoa. As grávidas, que podem transferir anticorpos maternos para o feto por meio da placenta, e os profissionais da saúde que atuam em urgência e emergência são os primeiros a serem imunizados da gripe.

No próximo sábado (30) é o dia de mobilização nacional da campanha e é a partir dessa data que os demais grupos de risco começam a ser imunizados. São eles: as crianças de 6 meses até menores de 5 anos, pessoas com mais de 60 anos, trabalhadores de saúde, povos indígenas, puérperas (até 45 após o parto), pessoas com doenças crônicas e integrantes do sistema prisional.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), todas as pessoas que se enquadram no grupo de risco serão vacinadas. A meta do município é imunizar 124 mil pessoas, o que corresponde a 80% de 168 mil pessoas que compõem o grupo de risco. A vacina distribuída pela rede pública é a trivalente, ou seja, protege contra três subtipos do vírus (A/H1N1;A/H3N2 e influeza B).
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.