Vida Urbana

Técnicos americanos já estão na PB para pesquisa sobre zika

Pesquisadores participaram de reunião com governador e na ocasião foram discutidas estratégias das pesquisas. Os estudos tiveram início nesta terça-feira (16).



Divulgação/Secom-PB
Divulgação/Secom-PB
Técnicos participaram de uma reunião com Ricardo nesta manhã

Representantes do Centro de Controle e Prevenção de Doenças do Governo dos Estados Unidos (CDC) já estão na Paraíba para iniciar estudos de controle de microcefalia relacionada ao vírus Zika. Eles chegaram na segunda-feira (15) e participaram de uma reunião com o governador do Estado Ricardo Coutinho. Os estudos começaram nesta terça-feira (16).

Na ocasião, foram discutidas as estratégias das pesquisas relacionadas à doença, que irão durar 50 dias no Estado. A proposta do estudo é realizar um monitoramento de mães e bebês, com e sem microcefalia, com o objetivo de buscar entender qual a influência de fatores ambientais possam ter alguma relação com a doença.

O monitoramento de mães e bebês, com e sem microcefalia, na Paraíba será feito por meio de uma coleta de dados e exames em cerca de 150 crianças com microcefalia, além de aproximadamente 400 bebês saudáveis e suas respectivas mães. As cidades onde a pesquisa será realizada, bem como os casos selecionados para fazer parte da pesquisa, serão definidos pela Secretaria de Estado de Saúde após uma nova reunião com o Ministério da Saúde.

"Temos uma equipe preparada que desenvolve um excelente trabalho e já traz resultados, como a pesquisa feita pela Rede de Cardiologia Pediátrica, que estudou 16 mil casos de microcefalia e descobriu que nem todas as situações têm relação com o zika vírus", afirmou Ricardo Coutinho.

"Vamos junto com o Ministério da Saúde e o CDC definir encaminhamentos para mais uma pesquisa pioneira feita aqui no Estado. Dessa forma, em pouco tempo, esperamos trazer respostas para os questionamentos sobre a microcefalia", acrescentou.

Segundo colocado

Dados da Ministério da Saúde mostram que a Paraíba é o segundo estado com o maior número de casos suspeitos de microcefalia associada ao Zika, atrás apenas de Pernambuco. O estado notificou 756 casos, sendo 54 confirmados, 275 descartados e 427 em investigação.

Nos próximos dias 23 e 24, a diretora-geral da Organização Mundial da Saúde, Margaret Chan, visita o Brasil para acompanhar os esforços do governo no combate ao vírus Zika e à microcefalia. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.