Vida Urbana

Suspeito de entregar drogas em domicílio é preso em CG

Homem foi preso em casa onde também era vendida a droga.



Divulgação Polícia Civil
Divulgação Polícia Civil
Entre as drogas apreendidas estavam porções de maconha e crack

Um jovem de 21 anos, que não teve o nome divulgado, foi preso suspeito de traficar drogas no bairro José Pinheiro, em Campina Grande, no Agreste paraibano. A prisão dele ocorreu na quarta-feira (11), em uma casa que era usada como ponto de vendas para os entorpecentes. Com ele, a Polícia Civil (PC), apreendeu drogas, dinheiro e uma motoneta que o suspeito usava para entregar drogas
 
A prisão foi feita em flagrante por uma equipe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Civil (DRE), em Campina Grande, depois que o órgão de segurança recebeu uma denúncia anônima através do disque denúncia 197. Segundo a Polícia Civil, entre as drogas apreendidas estavam porções de maconha e crack, que já estavam embaladas, prontas para a venda. A grande quantidade de dinheiro em notas de baixo valor também é característica da movimentação financeira no tráfico de drogas, segundo a polícia.
 
De acordo com o Delegado Ramirez São Pedro, o que mais chamou a atenção da Polícia Civil foram as estratégias que o suspeito usava para vender drogas. “Na frente da casa havia um pequeno sino e quando alguém chegava e batia no sino ele já sabia que era pra comprar drogas. Outra questão é que os usuários também pediam drogas de casa e ele ia fazer entregas na motoneta”, explicou o delegado.
 
O suspeito foi encaminhado para a Central de Polícia Civil, no bairro Catolé, e autuado em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. Na tarde desta quinta-feira (12) ele deve ser encaminhado para uma audiência de custódia. 
 
Ainda segundo a investigação da Polícia Civil, o ponto de vendas de drogas no bairro de José Pinheiro estava sendo comandado pelo irmão do suspeito, que têm vários mandados de prisão, por tráfico de e homicídio. “O irmão desse jovem preso é um dos maiores fornecedores de drogas da cidade e está foragido. No caso onde uma mulher vendia drogas em marmitas, no bairro Bela Vista, ele era o fornecedor".
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.