Vida Urbana

Réu é condenado a 12 anos por morte de Fátima Lopes

Eduardo Paredes foi condenado por homícidio doloso e por lesão corporal culposa.




O psicólogo Eduardo Paredes foi condenado a 12 anos de prisão pela morte da defensora pública geral da Paraíba Fátima Lopes e pela lesão corporal do marido dela, Carlos Martinho Correia Lima. O júri popular aconteceu nesta terça-feira (26), no 2ª Tribunal de Júri de João Pessoa, depois de três adiamentos.

O psicólogo Eduardo Paredes terá que cumprir uma pena de 11 anos, pelo homícidio doloso – quando se tem a intenção de matar – de Fátima Lopes e um ano pela lesão corporal culposa de Carlos Martinho.

Paredes deve cumprir a pena em regime fechado e, como ainda não foi decidido o local onde ele ficará preso, ele vai voltar para o 5º Batalhão de Polícia Militar, onde ja estava detido desde que se entregou à Justiça. O tempo que ele ficou preso aguardando julgamento será descontado na pena.

O acidente que causou a morte da defensora aconteceu no cruzamento da Avenida Epitácio Pessoa com a Rua João Domingos, no bairro de Miramar, no dia 24 de janeiro de 2010.
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.