Vida Urbana

Quatro integrantes do assalto à Caixa da UFCG são condenados a até 23 anos de prisão

Os réus foram condenados pela prática de roubo e organização criminosa.




Assalto à agência bancária da Caixa na UFCG foi cercado de violência. Foto: divulgação

A 4ª Vara da Justiça Federal condenou quatro integrantes do grupo que realizou um assalto à agência da Caixa Econômica Federal (CEF), localizada no Campus I da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Após o roubo de R$ 17.732,56, os criminosos fugiram levando dois vigilantes como reféns. Os réus foram condenados pela prática de roubo e organização criminosa. As penas devem ser cumpridas em regime inicial fechado.

Foram condenados à reclusão: Joeliton Barbosa dos Santos (23 anos e 11 meses); Ralderson Linkoln de Araújo Silva (23 anos e 11 meses); André Vanute de Lucena Souza (18 anos, 10 meses e 15 dias) e Yago Lincken Gardman Oliveira da Silva (23 anos e 11 meses).

A decisão cabe recurso.

Tiros e agressões

Na sentença, o juízo da 4ª Vara da Justiça Federal destacou o alto grau de violência dos agentes criminosos, como os tiros disparados dentro da agência bancária e a forma como uma vigilante “foi agredida violentamente, causando lesões que a impossibilitaram de voltar ao trabalho”.

Conforme imagens de vídeo do interior da agência e laudo da Polícia Federal, também houve disparos de arma de fogo no interior da agência bancária durante a ação dos criminosos. Os ladrões utilizaram três veículos para cometer o crime, os quais haviam sido roubados poucos dias antes do roubo à CEF. A organização criminosa abandonou os carros após o assalto.

Mais duas ações

Ainda tramitam na Justiça Federal duas ações penais referentes ao assalto à agência da Caixa Econômica na UFCG: a Ação Penal n° 0801667-80.2019.4.05.8201, em face de Mastroianni Leonel Santos; e a Ação Penal n° 0800281-15.2019.4.05.8201, em face de Josenildo Augusto da Silva, Antonio Marcos Campos e Yago Alerrandro Ferreira Cabral.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.