Vida Urbana

Procurador-geral de Justiça recebe título de cidadão de Campina Grande

Honraria também será entregue ao procurador Álvaro Pinto.




Francisco Seráphico vai se tornar cidadão de Campina Grande. Foto: Divulgação

O procurador-geral de Justiça da Paraíba, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, e o procurador de Justiça, Álvaro Cristino Pinto Gadelha Campo, serão agraciados nesta quinta-feira (6) com o título de cidadão Campinense. A solenidade será realizada na Câmara Municipal de Campina Grande, às 19h. No evento, o auditor do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), André Agra Gomes de Lira, receberá a medalha de Honra ao Mérito da Casa.

O título de cidadão campinense a Seráphico da Nóbrega foi proposto pelo vereador Alcindor Villarim e aprovado em outubro deste ano.

Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho foi nomeado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) como o novo procurador-geral de Justiça do Ministério Público da Paraíba, em agosto de 2017. Ele é mestre em Direitos Humanos pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), especialista em Direito Processual pela UNP e professor do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê).

Exerceu o cargo de auditor auxiliar do Tribunal de Contas do Estado (TCE) após aprovação em concurso (1998-2003) e de professor das Universidades Iesp, Facisa e Fip/Patos (2007/2012).

Antes de ocupar o cargo de procurador-geral, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho foi promotor de Justiça de Santa Rita, tendo, anteriormente, exercido atribuições nas Promotorias de Patos, Campina Grande, João Pessoa, Cruz do Espírito Santo, Mari, Soledade, São Mamede, Pombal, Malta, Paulista e como promotor convocado junto à Procuradoria de Justiça.

Na administração superior, exerceu os cargos de secretário-geral (Seger) e secretário de Planejamento e gestão (Seplag) do MPPB. Além disso, integrou a Comissão de Combate aos Crimes de Responsabilidade e à Improbidade Administrativa (Ccrimp), a Assessoria Técnica e a Coordenação do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial (Ncap).

No biênio 2013-2015, exerceu o cargo de presidente da Associação Paraibana do Ministério Público (APMP), onde esteve na linha de frente no combate à conhecida PEC 37, que retirava o poder de investigação do Ministério Público; além de ter estruturado financeiramente a entidade e levantado a bandeira de defesa do associado.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.