Vida Urbana

Policiais Civis e Militares da Paraíba não poderão mais ficar internados em UPA

Lei sancionada pelo governador obriga transferência imediata para hospitais.




agressão upa

Lei que protege policiais foi sancionada neste sábado pelo governador João Azevêdo. Foto: Reprodução/TV Cabo Branco

Uma lei sancionada neste sábado (6) pelo governador da Paraíba, João Azevêdo, torna obrigatória a transferência imediata de policiais militares e civis que forem atendidos nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) para hospitais da rede pública de saúde, conveniadas ao Sistema Único de Saúde (SUS).

A nova lei, publicada no Diário Oficial do Estado deste sábado, também proíbe que os policiais militares e demais agentes de segurança pública do Estado fiquem no mesmo ambiente de leito com pacientes em custódia, devendo ficar em local separado.

A lei, publicada no Diário Oficial do Estado deste sábado, foi proposta pelo deputado estadual Inácio Falcão. Ao apresentar o projeto de lei, o parlamentar justificou que o objetivo maior é de “assegurar a integridade dos policiais militares e demais agentes de segurança pública do estado que venham a ser internados nas Unidades de Prontos Atendimento (UPA 24 horas), tendo segurança patrimonial, ficando os policiais vulneráveis e com suas vidas em risco ao serem reconhecidos por criminosos, que por acaso se encontra no local”.

Para Inácio Falcão, é de extrema relevância se discutir políticas públicas que atendam principalmente a preservação da vida humana, especialmente de policiais militares e demais agentes de segurança pública do Estado.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.