Vida Urbana

PM prende três suspeitos de morte de sargento do Bombeiros em João Pessoa

Crime foi encomendado para roubar a pistola da vítima.





Em menos de 12 horas, a Polícia Militar prendeu três suspeitos de participação na morte de um sargento do Corpo de Bombeiros em João Pessoa.Um jovem foi preso no bairro Valentina Figueiredo no começo da noite de quinta-feira (30), suspeito de ser o condutor da motocicleta do atirador. No final da noite, a PM chegou ao suspeito de efetuar os tiros, um jovem de 20 anos, preso em uma comunidade no Quadramares. O terceiro, de 32 anos, foi preso na madrugada desta sexta-feira (31) por ter encomendado a morte.

O sargento dos Bombeiros, Joselio Leite, foi morto a tiros dentro do quartel no bairro de Mangabeira, em João Pessoa. O caso aconteceu na manhã de quinta-feira, quando dois homens em uma moto chegaram no quartel, um deles desceu e entrou na guarita onde a vítima estava. O sargento reagiu, foi baleado por um dos suspeitos e morreu no local.

De acordo com a Polícia Militar, o crime foi executado para roubar a pistola da vítima. O roubo foi encomendado por um presidiário que cumpre pena alternativa por tráfico de drogas, realizando serviços diários de faxina no local onde o bombeiro militar trabalhava.

Ainda segundo a polícia, os suspeitos foram localizados por meio de buscas realizadas por policiais militares de várias unidades, que passaram a verificar as denúncias recebidas pela população por telefone e por aplicativos de mensagens instantâneas.

Conforme levantamento feito pela Polícia Militar, todos os três suspeitos presos têm algum tipo de antecedente criminal. Jonas Ribeiro Sobrinho, suspeito de matar o sargento a tiros, inclusive, tinha sido preso na última sexta-feira (24) com drogas durante buscas feitas na 31ª edição da operação Impacto, mas foi liberado na delegacia, após um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Ele já cumpre pena em regime aberto.

Natan Antônio de Carvalho, motociclista que deu fuga ao atirador, quando era adolescente, havia sido apreendido por tráfico de drogas. Por sua vez, Thiago Ribeiro da Cunha, suspeito de encomendar o crime, cumpre pena medida alternativa no quartel onde o sargento trabalhava. Ele teria encomendado o crime, já que queria vender a pistola do sargento por um valor de R$ 6 mil. Além de indicar o momento exato para que os outros suspeitos praticassem o roubo.

Os três presos foram autuados pelo crime de latrocínio, que prevê pena entre 20 a 30 anos. A audiência de custódia dos suspeitos deve ocorrer nesta sexta-feira (31).


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.