Vida Urbana

Pesquisa revela que cerca de 25% das áreas de risco da capital estão insalubres

Estudo foi publicado em livro lançado na última sexta-feira.




Comunidade Maria de Nazaré em Funcionário II (Foto: Francisco França)

Um estudo verificou as áreas de risco de João Pessoa e constatou que cerca de 25% delas estão insalubres. A pesquisadora Lorena Gonçalves constatou que 7 das 27 comunidades oferecem pouca ou nenhuma condição básica de moradia. A pesquisa foi publicada no livro “Direito e Meio Ambiente”, lançado na última sexta-feira (31).

Segundo a pesquisadora, constatou que as comunidades Chatuba, Porto do Capim, Bananeiras, São Geraldo, Ari Barroso, Beira da Linha e Maria de Nazaré são insalubres. Para Lorena, o estudo pode servir para a Prefeitura de João Pessoa aprimorar o plano de Saneamento Básico da região. “Deve haver um replanejamento mais cuidadoso envolvendo o abastecimento de água, os resíduos sólidos e o esgoto sanitário dessas regiões”, salientou.

O organizador do livro, que também é advogado e membro do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), Boisbaudran Imperiano, contou que a ideia de lançamento de sua 10ª obra surgiu durante o ensino na Pós-graduação do Unipê, onde ele também dá aula. “Selecionei os melhores trabalhos e artigos práticos para levar à sociedade um pouco desse assunto que deve ser encarado com mais atenção e responsabilidade, pois é o futuro dos nossos filhos e netos: o planeta terra”, explicou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.