Vida Urbana

PB tem 3º maior índice de pessoas que trabalham para próprio consumo no NE

IBGE analisa diferentes formas de trabalho em pesquisa divulgada nesta quarta.




Trabalho no campo é um dos quatro identificados como de consumo próprio (Foto: Embrapa)

O estado da Paraíba é o terceiro na Região Nordeste em índice de pessoas que trabalham para o próprio consumo. O dado é da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua 2017: Outras Formas de Trabalho, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (11). Com 11,3%, a Paraíba só tem números menores que Piauí (19,3%) e Maranhão (16,4%).

Além da produção para o próprio consumo, a pesquisa analisa o trabalho no cuidado de pessoas, afazeres domésticos e ainda o voluntariado. São alvos da pesquisa a população a partir de 14 anos de idade, faixa etária que já pode exercer algum tipo de trabalho, mesmo que como aprendiz. Conforme o levantamento do IBGE, 2,7 milhões de pessoas na Paraíba realizaram outras formas de trabalho em 2017, sendo 1,1 milhão de homens(41,7%) e 1,5 milhão de mulheres (58,3%). O número representa um aumento de 81 mil pessoas, se comparado com 2016.

Segundo a pesquisa, o trabalho para o próprio consumo é identificado em quatro campos de atividades: cultivo, pesca, caça e criação de animais; produção de carvão ou corte de lenha; fabricação de calçados, alimentos e outros produtos; e ainda construção para próprio uso.

Com relação ao grau de estudo, pessoas sem instrução ou com com ensino fundamental incompleto representam a maior fatia daqueles que trabalham para o próprio consumo na Paraíba, um total de 17,4%. Por outro lado, aquelas que têm superior completo somam apenas 2,1%. Quando a análise é feita com separação de gêneros, homens sem instrução ou ensino fundamental incompleto representam 19,9% do montante total. No comparativo entre idades, as pessoas de 50 anos ou mais são 15,4% .

No comparativo entre os tipos de atividades, a maioria das pessoas que trabalham para o próprio consumo na Paraíba atua no cultivo ou criação de animais, representando 73,6%. A produção de carvão ou lenha aparece com 30,6%; a fabricação de calçados e outros produtos, com 6,5%; e a construção para uso próprio, com 5,3%.

Afazeres domésticos

No segmento afazeres domésticos, a pesquisa do IBGE revela que 80,1% da população com idade de trabalhar na Paraíba fez algum tipo de serviço nessa área. No entanto, mostram uma diferença discrepante entre homens e mulheres. Enquanto 90,0% das mulheres realizaram tais atividades em 2017, esta proporção era de 68,6% entre os homens no mesmo período.

Apesar disso, os homens paraibanos aparecem relativamente bem, se comparados com os dos outros estados da Região Nordeste. O percentual registrado na Paraíba só é menor que o do Piaui (76,7%) e da Bahia (73,3%).

As atividades consideradas como afazeres domésticos têm por base oito conjuntos distintos: preparar ou servir alimentos, arrumar a mesa ou lavar louça; cuidar da limpeza ou manutenção de roupas e sapatos; fazer pequenos reparos ou manutenção do domicílio, do automóvel, de eletrodomésticos ou outros equipamentos; limpar ou arrumar o domicílio, a garagem, o quintal ou o jardim; cuidar da organização do domicílio (pagar contas contratar serviços, orientar empregados etc.); fazer compras ou pesquisar preços de bens para o domicílio; cuidar dos animais domésticos; e outras tarefas domésticas.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.