Vida Urbana

Paralisação no HU da capital

Empregados terceirizados, que prestam serviços ao HU realizaram manifestação contra as demissões de 71 prestadores de serviço.




A manhã foi de paralisação também no Hospital Universitário Lauro Wanderley (UFPB), em João Pessoa. Empregados da empresa terceirizada, que prestam serviços ao hospital, realizaram na manhã de ontem uma manifestação contra as demissões em massa de 71 prestadores de serviço por parte da Administração Central da UFPB, que também cancelou o contrato com a empresa Condores após o próximo dia 30.

Os trabalhadores, organizados pelo Movimento Luta de Classes (MLC), afirmam que a Reitoria alega que há irregularidades no contrato que terceiriza a mão de obra, responsável por serviços administrativos e de apoio, a exemplo de recepção, limpeza, alimentação, lavanderia, etc. A Reitoria alega excesso de contratações.

No entanto, a Direção do HULW contesta a posição da Reitoria, colocando que as contratações foram ampliadas dentro da margem permitida pelo contrato e realizadas por necessidade da manutenção do bom funcionamento de vários serviços essenciais, que podem ser seriamente prejudicados caso haja as demissões.

Além do Movimento Luta de Classes, responsável pela mobilização, os trabalhadores contam com o apoio do movimento universitário Correnteza e do Sindicato dos Trabalhadores da Limpeza Urbana da Paraíba (Sindlimp-PB).

No final da tarde de ontem, representantes dos prestadores de serviço se reuniram com o reitor Rômulo Polari para negociar sobre a possibilidade de relocação dos trabalhadores para outro setor da UFPB. Segundo informações do representante do Sindlimp-PB, Ulisses Alberto, os prestadores de serviço, o reitor e representantes da administração do HULW devem se reunir novamente ainda hoje para definir a situação dos manifestantes. (Angélica Nunes)


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.