Vida Urbana

Paraibanos são encontrados em situação análoga à escravidão

Ambulantes eram castigados se não atingiam metas de vendas.




Treze paraibanos foram encontrados trabalhando em condições semelhantes à escravidão no município de Lajeado, no interior do estado do Rio Grande do Sul. Eles foram encontrados nesta quarta-feira (24) dentro de um caminhão.

Os trabalhadores eram ambulantes e vendiam materiais como cintos e capas de carro. De acordo com uma das vítimas, eles ficavam presos em uma cela, onde sofriam punições e ameaças psicológicas. Os ambulantes disseram ainda que eram submetidos a castigos quando não alcançavam a meta de venda. Dezessete pessoas foram ouvidas pela polícia, sendo 15 trabalhadores e dois empregadores.

Conforme o delegado Mauro Mallmann, os vendedores eram transportados no compartimento de carga de um caminhão-baú, onde ficava a cela. Segundo ele, o grupo foi atraído por uma pessoa na Paraíba, que entregou uma quantia em dinheiro para cada um dos empregados para sustento das famílias. Esse dinheiro deveria ser devolvido com o trabalho prestado no Rio Grande do Sul.

A investigação policial revelou que os trabalhadores recebiam uma quantia insuficiente para alimentação e dormiam dentro do caminhão, ou em redes do lado de fora do veículo.

O flagrante aconteceu durante uma operação realizada pela Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Ministério do Trabalho e Brigada Militar. Dois homens foram presos, suspeitos de de exercerem conduta análoga a escravidão, e foram encaminhados ao Presídio Estadual de Lajeado. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.