Vida Urbana

Paraibano no México relata caos após terremoto: ‘cidade parou’

Publicitário conta que tremor durou cerca de dois minutos.



Arthur Barros
Arthur Barros
Paraibano natural de Campina Grande mora no México há oito meses.

Morando há oito meses no centro sul da cidade do México, o publicitário paraibano natural de Campina Grande Arthur Barros, de 31 anos, conta que a região onde ele reside parou após o forte terremoto de 7,1 graus de magnitude, registrado na última terça-feira (20). A situação aconteceu por volta das 13h, horário do México, e deixou pelo menos 220 mortos.

 O publicitário conversou com a redação do JORNAL DA PARAÍBA nesta quarta-feira (20) e revelou que estava no escritório quando sentiu o edifício de sete andares, onde trabalha, tremer. “Eu trabalho no quinto andar do edifício, no momento do tremor percebi minha mesa se mexendo e logo estranhei a situação. Olhei para a estrutura do prédio e tudo estava tremendo. Foi uma situação de muito pânico. De imediato, todas as pessoas correram, mas devido ao forte tremor só conseguimos chegar até o acesso das escadas de emergência, onde ficamos até a situação voltar ao normal”, disse.
 
O tremor durou cerca de dois minutos, segundo Arthur. “Após o terremoto, a cidade parou. Diversas avenidas ficaram fechadas por causa de desabamentos, muitos veículos foram abandonados nas ruas e o metrô ficou sem funcionar. Eu tive que voltar pra casa caminhando. A região norte foi a mais atingida, mas aqui onde moro no centro sul muitos danos foram registrados também.”, revela  Arthur Barros.
 
Arthur contou também que está trabalhando de casa, devido o edifício onde fica seu escritório está interditado para o processo de vistoria. “O edifício onde trabalho está interditado e só poderá ser liberado após uma vistoria. Hoje estou realizando o meu serviço de casa e as informações divulgadas até o momento pela imprensa é que quase metade da cidade está sem eletricidade. Eu moro na cidade do México desde janeiro deste ano. Passei uma situação semelhante no Panamá há algum tempo, mas nada comparado ao tremor de ontem. As pessoas estão assustadas”, ressaltou. 
 
Após o terremoto, o publicitário disse que fez o contato com a família na Paraíba. “Eu mandei mensagem para minha mãe e informei imediatamente a situação. Ela ainda não sabia de nada”, concluiu. 
 
A mãe de Arthur estava no México em visita ao filho há cinco dias.“Eu cheguei do México domingo, após passar vários dias com Arthur. Ainda não tinha conhecimento do tremor, pensei até que fosse algo simples, mas quando tomei conhecimento da informação percebi a gravidade da situação. Mãe sempre se preocupa, não tem como ser diferente. Graças a Deus meu filho não sofreu nada”, contou a engenheira civil, Valéria de Castro, de 57 anos. 
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.