Vida Urbana

Paraíba tem 24 cidades com cobertura vacinal contra sarampo abaixo do esperado

Brasil perdeu certificado de país livre da doença e Ministério da Saúde vai intensificar ações.




Propagação do sarampo alerta para importância da vacinação na Paraíba

Após comunicar oficialmente à Organização Pan-americana de Saúde (OPAS) sobre a confirmação da ocorrência de um caso endêmico de sarampo, o Brasil vai perder o título de país livre da doença. Por isso, do Ministério da Saúde anunciou ações para conter o avanço dos casos. Segundo o documento, a última ocorrência foi registrada no dia 23 de fevereiro, no Pará.

Na Paraíba 98,56% da população já foi imunizada contra a doença, ainda durante a última campanha nacional de imunização, no segundo semestre de 2018. Mas 24 municípios não atingiram as metas esperadas. Os últimos casos de sarampo na Paraíba foram registrados em 2013, com nove ocorrências.

Vacina no calendário permanente

A vacina contra o sarampo faz parte do calendário de vacinação de crianças, adolescentes e adultos até 49 anos. Mas, segundo a assessora técnica do Núcleo de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde na Paraíba (SES), Márcia Mayara, alguns fatores, como a falta de informação da população, influenciam para que a imunização em algumas localidades seja abaixo das metas.

Ela destaca que as vacinas podem ser encontradas em qualquer unidade de saúde do Estado, em qualquer momento do ano. “Estamos sempre realizando monitoramento e avaliação das coberturas vacinais junto aos municípios, reforçando que realizem busca ativa dos faltosos e que ofertem a vacina em horários diferenciados para que a população tenham mais acesso”, destacou.

Em relação aos municípios que não conseguiram atingir cobertura na campanha, Márcia avalia que alguns fatores como resistência dos pais para vacinarem os filhos, falta de conhecimento sobre a importância da vacina e a doença que pode acometer seu filho, influenciam para isso.

Campanha da vacinação casada

Márcia revelou que durante a campanha de vacinação contra a Influenza, que começa no dia deve ocorrer entre os dias 15 de abril e 31 de maio, serão disponibilizadas todas as vacinas necessárias para atualização da Caderneta de Vacinação tanto de crianças, quanto de gestantes. “A ação busca o resgate e vacinação de não vacinados, por considerar o risco para as doenças imunopreveníveis, além das baixas coberturas vacinais neste público”, explicou. “É importante de que as pessoas que não estão vacinados procurem uma unidade de saúde para tomar a vacina”, alerta Márcia.

Com as ações, o Ministério da Saúde espera retomar o título de país livre do sarampo em até 12 meses. A região Norte do país, área de maior incidência da doença, deve ter atenção especial durante campanha.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.