Vida Urbana

Papa pede fim da ‘hipocrisia religiosa’

Em sua última missa na Basílica de São Pedro, Bento XVI pediu o fim de rivalidades na igreja.




O papa Bento XVI fez um apelo ontem, em sua última missa na Basílica de São Pedro, no Vaticano, pelo fim da "hipocrisia religiosa" e de "rivalidades" dentro da Igreja Católica. As informações são da Agência Brasil.

"O rosto da Igreja é por vezes marcado pelos pecados contra a unidade da Igreja e divisões no clero", disse o sumo pontífice, que trajava as tradicionais vestes roxas das celebrações da Quaresma, período católico de penitência antes da Páscoa.

Bento XVI, que anunciou na segunda-feira, dia 11, a renúncia ao papado por falta de capacidade física, disse que "a cara da Igreja" se apresenta "por vezes, desfigurada".

"Penso nos ataques à unidade da Igreja, nas divisões no corpo eclesiástico", disse o papa, perante os cardeais. Ele apontou a incoerência dos que se insurgem contra "os escândalos e injustiças naturalmente cometidas por outros", mas que não estão "prontos a agir no seu próprio coração, consciência e intenções".

Visivelmente debilitado, o papa foi transportado em uma plataforma móvel da entrada da vasta nave da Basílica de São Pedro até o altar.

Também ontem, na primeira aparição após anunciar sua renúncia, o papa Bento XVI falou a milhares de peregrinos em uma audiência geral no Vaticano e enviou uma mensagem ao Brasil. Em português, Bento XVI incentivou os jovens a terem participação mais ativa na comunidade e na Igreja.

A mensagem foi enviada no momento em que o Brasil lança a Campanha da Fraternidade, que neste ano tem como tema Fraternidade e Juventude e o lema "Eis-Me Aqui, Envia-Me!". O Brasil será sede em julho da Jornada Mundial da Juventude, que ocorre no Rio.

"Convido os jovens brasileiros a buscarem sempre mais, no Evangelho de Jesus, o sentido da vida, a certeza de que é por meio da amizade com Cristo que experimentamos o que é belo e nos redime", disse o papa. Na audiência geral, Bento XVI também leu uma mensagem aos fiéis de língua portuguesa, na qual falou sobre a Quaresma e citou os peregrinos de Porto Alegre e Curitiba.

"Possa cada um de vós viver estes 40 dias [da Quaresma] como um generoso caminho de conversão à santidade que o Deus Santo vos pede e quer dar! As suas bênçãos desçam abundantes sobre vós e vossas famílias", disse o papa, em português. Pouco depois, o papa iniciou a celebração da Santa Missa, com o rito da imposição das cinzas, que abre o período de Quaresma.

Bento XVI anunciou irá deixar o posto em 28 de fevereiro. Aos 85 anos, ele é o primeiro papa a renunciar em 700 anos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.