Vida Urbana

Pacientes são barrados na porta do Trauma; médicos fazem reunião

Tenente dos Bombeiros relatou que teve paciente rejeitado no Trauma e no Trauminha, em JP. Cirurgiões suspenderam atendimentos no fim de semana e ameaçam demissão.




Karoline Zilah
Com informações da TV Cabo Branco

Por causa da paralisação do trabalho de 23 médicos do Hospital de Emergência e Trauma, em João Pessoa, muitos pacientes tiveram atendimento negado na porta da unidade hospitalar neste fim de semana. Uma tenente do Corpo de Bombeiros se queixou que viveu dificuldades ao socorrer vítimas de acidentes. Assista ao depoimento da tenente dos Bombeiros no vídeo ao lado.

Em um dos casos, um paciente não pode ser internado devido à falta de médicos e de leitos. Ele foi levado na ambulância dos Bombeiros para o Hospital de Ortotrauma, o ‘Trauminha’, de Mangabeira, mas lá foi novamente rejeitado porque, segundo atendentes, lá também já estaria lotado.

Apesar do secretário estadual de Saúde Waldson Sousa ter garantido que a população não ficaria sem atendimento, logo depois das 19h da sexta-feira, quando mudou a equipe de plantão, as recepcionistas do Trauma já estavam avisando aos pacientes que chegavam que não havia médicos para atendê-los.

O Hospital de Trauma é maior da região metropolitana de João Pessoa no quesito emergência. A própria equipe relatou que o plantão neste fim de semana foi bastante movimentado e que enfrentou dificuldades para receber as pessoas que precisavam de atendimento.

Acesso ao hospital foi fechado no domingo à noite (crédito: Walter Paparazzo)

Para se ter uma ideia da demanda, das 11h do sábado (28) até o fechamento do último boletim às 4h50 desta segunda-feira (30) deram entrada 223 pessoas, entre urgências (casos clínicos como dor de cabeça, febre, hipertensão etc.) e emergências.

O maior número de casos foi de pessoas acidentadas em motocicletas (42). Outras cinco foram vítimas de acidentes com automóveis. As demais foram feridas por arma de fogo, queimadura, agressão física e atropelamento.

Paralisação

Vinte e três cirurgiões que prestam serviço ao Hospital de Trauma paralisaram as atividades neste fim de semana e ameaçam pedir demissão coletiva caso não haja acordo com o Estado. Eles querem que a Secretaria de Saúde restabeleça os valores dos plantões que foram reduzidos desde o início da gestão do governador Ricardo Coutinho (PSB). O Governo chegou a propor plantões de R$ 640 (durante a semana) e R$ 740 (finais de semana e feriados), mas os médicos reivindicavam plantões de R$ 1 mil.

No domingo, houve uma reunião entre representantes da classe médica e da Secretaria Estadual de Saúde. A proposta feita, que ainda não foi divulgada, será avaliada numa assembleia às 12h desta segunda-feira (30) no Conselho Regional de Medicina, em João Pessoa.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.