Vida Urbana

Operação Cárcere prende 12 pessoas que agiam de dentro de prisões

Entre os presos, está técnico em manutenção de câmeras do PB, do Róger e do Serrotão.



Divulgação
Divulgação
Investigações policiais para a operação tiveram início no mês de março de 2016

Doze pessoas foram presas em uma operação deflagrada na manhã desta quinta-feira (4) pelas Polícias Civil e Militar, em João Pessoa e em Itabaiana. O objetivo da Operação Cárcere foi desarticular uma organização criminosa que agia de dentro de unidades prisionais do Estado, com crimes contra a vida e patrimoniais nas duas cidades. Entre os presos, está um técnico em manutenção de câmeras de segurança que trabalhava nas Penitenciárias PB1, Róger, em João Pessoa, e Serrotão, em Campina Grande.

De acordo com o delegado da 9ª Seccional, com sede em Itabaiana, Hugo Helder, participaram da operação 80 policiais civis e militares e, além dos mandados de prisão, ainda foram cumpridos nove de busca e apreensão.

“Nossa intenção foi coibir o tráfico de drogas na região de Itabaiana e prevenir os crimes contra a vida, que vinham sendo executados por uma quadrilha bem articulada", afirmou.

"Os alvos da operação compõem o primeiro e o segundo escalão do grupo preso e que comandava diversos tipos de crimes de dentro de unidades prisionais. Outros envolvidos foram identificados e mais prisões devem ocorrer nos próximos dias”, complementou o delegado.

Foram presos Tarcísio José da Silva, de 32 anos, que é tido como chefe do grupo; Davyd José Melo do Nascimento, de 26 anos, o técnico de câmeras de segurança; Zenaide de Oliveira, de 42 anos; Luiz Gomes de Lira, de 56 anos; Ivaldo Silva de Araújo, de 20 anos; Elivan Vicente da Silva, de 21 anos; Iago Ferreira de Souza, de 22 anos; Keoma da Silva Souza, de 21 anos; Cézar da Silva, de 31 anos; Petrônio Lucas Dias, de 18 anos; Josemir Cipriano da Silva Júnior, de 19 anos e Mário de Brito Marinho, de 21 anos.

As investigações policiais tiveram início no mês de março de 2016, após a denúncia de um crime envolvendo um adolescente, assassinado e esquartejado na cidade de Itabaiana. “Em nossos levantamentos, conseguimos identificar que o Tarcísio era apontado como o mandante do homicídio. Logo depois do assassinato, outras mortes violentas, além de roubos e incêndios a residências, apareceram e estavam sempre sendo atribuídas ao mando de Tarcísio, o chefe desse grande esquema criminoso que desarticulamos”, disse o delegado Hugo Hélder.

Ainda de acordo com ele, as investigações também indicaram que Tarcísio e comparsas planejavam uma série de assassinatos na cidade de Itabaiana, com o intuito de assumir o tráfico de drogas na região. “Descobrimos uma possível lista da mort’, que já contava com o nome de sete pessoas que provavelmente seriam executadas”, explicou.

A operação recebeu o nome de ‘Cárcere’ pelo fato de a organização criminosa investigada ser comandada do interior de um presídio de segurança máxima. A ação policial desta quinta-feira contou com o apoio do setor de inteligência da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) e do Grupo Penitenciário de Operações Especiais (Gpoe). 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.