Vida Urbana

Número de assassinatos cai 22% no primeiro quadrimestre de 2019 na PB

De acordo com a Secretaria de Segurança, houve uma redução em registros de feminicídios também.





A Paraíba registrou uma queda de 22% no número de assassinatos no primeiro quadrimestre de 2019. De acordo com os números da Secretaria de Segurança e Defesa Social do estado, divulgados na segunda-feira (13), no período foram registrados 325 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que são homicídios dolosos ou qualquer crime doloso que resulte em morte. O dado representa 91 casos a menos que o mesmo período de 2018, quando foram contabilizados 416 crimes desse tipo.

O Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Secretaria de Segurança apontou que das 22 Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp), 18 tiveram redução no no número de assassinatos: Monteiro (80%), Queimadas (67%),  zona leste de Campina Grande (58%), Bayeux (54%), Solânea (53%), Picuí (44%), zona sul de João Pessoa (40%), Cabedelo (38%), zona oeste de Campina Grande (36%), Guarabira (25%), Santa Rita (24%), Cajazeiras (22%), Itabaiana (19%), Mamanguape (17%), Patos (15%), Esperança (11%), Itaporanga (8%) e Catolé do Rocha (8%).

A diminuição de homicídios na Paraíba também se repete no que se refere às mortes de mulheres. De janeiro a abril deste ano, foram contabilizados 20 casos, 44% a menos do que no 1º quadrimestre de 2018, quando aconteceram 36 ocorrências desse tipo.

Os crimes de feminicídios também tiveram redução nesse período. Entre o total de casos registrados nos quatro meses, 10 foram desse tipo de crime, representando uma queda de 41%, já que no ano anterior se contabilizou 17 feminicídios.

De acordo com o Nace, desde 2010 o Estado tem uma redução acumulada de 29% do número de assassinatos com vítimas do sexo feminino, sendo uma queda de 33% na taxa, que passou de 6,13 para 4,08 por 100 mil habitantes. Com isso, a Paraíba saiu do 4º lugar em mortes de mulheres no Brasil, segundo o Mapa da Violência 2012, para 19º no país, de acordo com o Anuário Brasileiro da Segurança Pública 2018.

Os resultados fazem parte de um grande esforço dos nossos policiais e bombeiros que, com muito trabalho, conseguiram manter a redução de assassinatos de forma que em nenhum desses quatro meses ultrapassamos os dois dígitos no total de ocorrências. Isso demonstra que estamos no caminho certo, e agora com uma atenção ainda maior para os Crimes Violentos Patrimoniais (CVP), pois foram criados novos indicadores e uma Força-Tarefa voltada ao enfrentamento aos crimes contra instituições financeiras”, disse o titular da Secretaria de Segurança, Jean Nunes

Investigações de homicídios

O trabalho investigativo da Polícia Civil faz com que a Paraíba atingisse números positivos na resolução de assassinatos este ano. Dados relativos ao mês de janeiro apontam que 50% dos casos de CVLI foram elucidados e em 27% deles houve prisão dos acusados, sendo 13 por cumprimento de mandado de prisão e oito em flagrante. Os números, para os quais também contribui a Polícia Militar, nas prisões em flagrante e ações integradas, são consolidados a partir do andamento dos inquéritos policiais, com um período de pelo menos três meses para esclarecimento do caso.

Em seis Áreas Integradas de Segurança Pública houve 100% de elucidação de assassinatos no primeiro mês de 2019 e especificamente naqueles ocorridos nas regiões de Queimadas (11ª Aisp) e Cajazeiras (20ª Aisp) foi atingida também a meta de 100% de prisões dos autores dos assassinatos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.