Vida Urbana


Quase 8 mil pedem mudança de CNH para atuar como Uber na PB

Especificação é exigida também por empresas gerenciadoras como o CGDrive, que serve em Campina Grande. 




O início da operação do aplicativo Uber, que cadastra motoristas para prestarem serviço de transporte particular de passageiros, nas cidades de João Pessoa e Campina Grande fez aumentar as solicitações para inclusão na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) da observação EAR que significa que o condutor Exerce Atividade Remunerada. Essa especificação é exigida pelas empresas gerenciadoras dos aplicativos Uber e CGDrive para cadastrar seus colaboradores.

Em janeiro de 2016 o sistema do Detran da Paraíba registrou 1.339 CNHs com a EAR, sendo que 367 destas são de condutores já habilitados procuraram o órgão estadual de trânsito para inserir essa especificação. Em julho quando surgiu boatos do funcionamento do Uber em João Pessoa, o número de solicitações aumentou para 1.542.

Quando o aplicativo começou a operar na Capital no mês de setembro as solicitações dispararam e chegaram 3.460 no final do ano, sendo que 465 delas foram de alteração no documento. Os números continuaram aumentando até que em maio de 2017, quando surgiu a informação que o Uber pretendia iniciar a operação em Campina Grande, o Detran registrou 3.554 CNHs com a EAR, sendo que 515 foram pedidos de alteração no documento.

Os números continuam em alta nos últimos dois meses. Entre julho, agosto e metade de setembro já foram registradas 7.972 carteiras de habilitação com a observação que o condutor Exerce Atividade Remunerada. Para que a EAR seja inserida na CNH, o valor cobrado é R$ 113, além do motorista ser obrigado a fazer o teste psicotécnico e o exame oftalmológico.

De acordo com o diretor da 1ª Ciretran, sediada em Campina Grande, Fábio Thoma, esse aumento realmente está relacionado com o surgimento do aplicativo e o aumento do desemprego, que tem foçado as pessoas a procurarem atividades diversas entre elas, o serviço de transporte de passageiros. “Serve para motorista de uber, de táxi e em várias outras situações em que a pessoa possa usar para se inserir no mercado de trabalho, explicou.