Vida Urbana


Motorista do carro de Eliza Clívia é responsabilizado por morte da cantora

Segundo a polícia de Sergipe, ele não deu atenção à sinalização da via em Aracaju.




Divulgação
Divulgação
Eliza e o marido morreram no dia 16 de junho

Foi apresentada nesta quarta-feira (13) a conclusão da investigação do acidente que matou a cantora paraibana Eliza Clívia, ex-vocalista da banda Cavaleiros de Forró. De acordo com o inquérito da Delegacia de Delitos de Trânsito de Aracaju, capital de Sergipe, o responsável pela colisão foi Clebson José dos Santos, motorista que dirigia o carro da artista, que foi atingido por um ônibus. O acidente aconteceu em 16 de junho e além de Eliza matou o marido dela, o baterista Sérgio Ramos.

De acordo com a delegada Daniela Lima, Clebson não deu atenção à sinalização da via no Centro de Aracaju. “Podemos concluir com toda a tranquilidade, após exaurir todas as possiblidades de produção de provas através de depoimentos e provas técnicas, que a causa do acidente foi provocada pela entrada do veículo Pálio da via. E concluímos pelo indiciamento do senhor Clebton por homicídio culposo de trânsito e por lesão corporal culposa de trânsito”, disse em entrevista ao G1.
 

Daniela afirmou ainda que também esteve na cidade de Arapiraca, Alagoas, onde interrogou o motorista, que ainda se recupera do acidente. “Ele não tem memória do choque. Mas tem um relato de momentos antes de que estava utilizando um GPS para se guiar, já que não conhecia a cidade”.
 

De acordo com o laudo da Polícia Civil de Sergipe, a velocidade do ônibus variava entre 48 km a 62 km. Já o automóvel estava a 22 km no momento da invasão da preferencial.
 

Eliza Clívia era de Livramento e começou sua carreira em Monteiro. Eliza tinha 37 anos e foi vocalista das bandas Cavaleiros do Forró, onde ficou por 10 anos e Cavalo de Aço. Em 2017 ela anunciou seu desligamento da banda e iniciou sua carreira solo, que tinha apenas quatro meses quando a cantora morreu no acidente.