Vida Urbana


Mesmo com paralisação de caminhoneiros, combustível não deve faltar no fim de semana

 Abastecimento atual dos postos seria suficiente para a demanda prevista.




O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado da Paraíba (Sindipetro/Paraíba), Omar Hamad, afirmou que mesmo com a paralisação dos caminhoneiros que transportam combustível que acontece desde a última segunda-feira (4), o abastecimento atual dos postos do estado é suficiente para a demanda do fim de semana, não sendo esperado, portanto, que falte combustível em nenhuma região da Paraíba.
 
Os motoristas que estão em greve possuem duas demandas: uma diz respeito à padronização da medição do combustível e a outra é sobre a instalação de um ponto de apoio para os motoristas em Cabedelo. De acordo com o presidente do Sindicato dos Motoristas e Ajudantes de Entregas do Estado da Paraíba (Sindmae-PB), Marco Antônio, os motoristas estariam sendo prejudicados devido à falta de padronização. "O combustível que vem pra Cabedelo é medido de um jeito em Suape e de outra maneira aqui em Cabedelo, fazendo com que haja inconsistências e os motoristas tenham que pagar do próprio bolso a diferença", afirma.
 
Na manhã desta sexta-feira (8) aconteceu uma mesa de negociação entre representantes do Sindicato dos Motoristas e Ajudantes de Entrega da Paraíba e autoridades governamentais mais sem sucesso. Outra reunião foi realizada no final da tarde desta sexta e não houve acordo entre as partes. Segundo Pely Costa, do Sindicato dos Motoristas e Ajudantes de Entregas do Estado da Paraíba (Sindmae-PB), "se não houver um posicionamento do Ministério Público ou do Sindipetro até segunda, vamos fechar as vias de acesso à Cabelo".