Vida Urbana


Último suspeito de participar de morte de Ivanildo Viana se entrega à polícia

Segundo investigação, ele atuou como apoio aos executores no dia do crime.




Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook
Ivanildo foi morto em fevereiro de 2015

O sétimo suspeito de envolvimento na morte do radialista Ivanildo Viana se entregou à polícia na manhã desta quinta-feira (31). De acordo com o delegado Everaldo Medeiros, um dos responsáveis pela caso, Célio Martins Pereira Filho se entregou na Central de Polícia de João Pessoa. Ele era o único nome apontado pela investigação que não tinha sido preso na Operação Sintonia na terça-feira (29).

O radialista Ivanildo Viana foi morto às margens da BR-101, em fevereiro de 2015. De acordo com a investigação da Polícia Civil, um grupo de exterminio foi contratado para executar o comunicador. O crime foi organizado pelo ex-sargento da Polícia Militar Arnóbio Gomes Fernandes, que foi contratado por um mandante, ainda não identificado, por R$ 75 mil.

Segundo a investigação, Célio Martins era um dos ocupantes do carro que atuou como apoio aos executores, que estavam em uma motocicleta. O advogado dele já tinha sinalizado à polícia, na terça-feira, que ele iria se entregar.

“Todos são apontados como executores do homicídio, co-autores ou partícipes. A Polícia Civil ainda investiga a motivação do crime, assim como a identificação do autor intelectual, já que o assassinato, segundo as investigações, foi cometido mediante paga e promessa de recompensa, sendo encomendado”, disse o superintendente da 1ª Região da Polícia Civil, delegado Marcos Paulo, na entreviista coletiva que apresentou o resultado da investigação, sobre os sete suspeitos.