Vida Urbana


MPF investiga contaminação de água em poços perfurados com recursos federais na PB

Poços artesianos foram perfurados no município de Pedras de Fogo no ano de 2005.




O Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba está investigando a qualidade da água em onze poços artesianos no município de Pedras de Fogo. Os poços foram perfurados no ano de 2005 com recursos na ordem de R$ 200 mil, repassados pelo Governo Federal através de um convênio (Ep-2893) celebrado pela Fundação Nacional da Saúde (FUNASA) e município.
 
De acordo com o inquérito investigativo, a qualidade da água não estaria compatível para o consumo humano por apresentar bactérias coliformes totais e Escherichia Coli. Os poços foram construídos nas localidades de Bela Rosa, Corvoada II, Engenho Novo II, Fazendinha, Itabatinga, Lagoa de Paca, Mata de Vara, Nova Tatiane, Paquetá, Riacho D'água e Uma de São José.
 
Uma oitiva referente ao processo foi designada pelo procurador da república, Antônio Edílio Magalhães Teixeira, que acompanha a investigação, para o próximo dia 11 de setembro. 
 
A pretensão do MPF é receber as cópias dos relatórios técnicos finais com os perfis de todos os poços e ouvir os agentes responsáveis pelas perfurações, incluindo a ex-gestora do município na época, Maria Clarice e o atual prefeito de Pedras de Fogo Derivaldo Romão dos Santos. 
 
Uma cópia  integral de todos os procedimentos referentes ao convênio também foi solicitada pelo MPF à Funasa. O inquérito também exige a apresentação de documentos pela Prefeitura sobre quais providências foram tomadas, desde a gestão anterior até a atual para descontaminar as águas dos poços.