Vida Urbana


Apesar de decisão do STF, bancos públicos não funcionam na PB

Liminar anulou feriado bancário desta segunda (28). Bancos privados funcionam normalmente.




Mesmo após a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que anulou o feriado bancário desta segunda-feira (28) na Paraíba, os bancos públicos que possuem agências no Estado não estarão funcionando. Caixa Econômica, Banco do Brasil e Banco do Nordeste não terão atendimento ao público, ficando somente disponível o funcionamento dos caixas eletrônicos.

 

No entanto, as os bancos privados comunicaram que estarão funcionado normalmente. Agências do Bradesco, Santander e Itaú estarão abertas normalmente. Na liminar, Alexandre de Moraes defende que há desvio de finalidade da lei paraibana, uma vez que a pretexto de instituir um feriado, concedeu na verdade benefício de descanso remunerado a categorias específicas - bancários e economiários. Assim, a norma estadual fere a Constituição Federal, que atribui à União competência para legislar sobre direito do trabalho.

 

A diretoria do Sindicato dos Bancários da Paraíba considerou um desrespeito à categoria e comunicou que vai realizar protestos nas agências dos bancos privados em João Pessoa. “Enquanto o governo Temer desmonta os bancos públicos para facilitar as privatizações, inclusive com a consultoria do pessoal do Itaú Unibanco, os bancos privados vão massacrando e desrespeitando seus trabalhadores. É por isso que vamos protestar no dia do nosso feriado”, afirmou Marcelo Alves, presidente do Sindicato dos Bancários.

 

Um dos motivos para os bancos públicos não estarem funcionando nesta segunda-feira é que a liminar suspendendo o feriado só foi comunicada no início da noite da sexta-feira, quando os cofres foram programados para abrirem no expediente de terça-feira (29).

 

Campina Grande

 

Em Campina Grande também estarão funcionando normalmente os bancos privados, enquanto que os públicos não atenderão ao público. O presidente do Sindicato dos Bancários, Rostand Lucena, informou que a categoria pretende fazer um protesto em frente às principais agências dos bancos Bradesco, Itaú e Santander. “Juridicamente não podemos fazer nada, porque a lei é do Governo do Estado e nós somos apenas os beneficiados, mas estamos reunidos para decidir como reagiremos. Provavelmente iremos fazer um protesto hoje”, disse.