Vida Urbana


Padre morto a facadas no interior da PB conhecia o assassino, diz polícia

Segundo a polícia, tese de latrocínio está praticamente descartada.




O padre Pedro Gomes Bezerra, morto na cidade de Borborema, Brejo paraibano, na quinta-feira (24), conhecia o autor do crime. A informação foi dada pelo delegado Diógenes Fernandes, que está investigando o caso. Para a Polícia Civil, a hipótese de latrocínio, que é o roubo seguido de morte, está praticamente descartada. O religioso foi assassinado com 29 facadas dentro da casa paroquial.

“O padre recebeu uma pessoa que entrou na casa sem nenhuma violência, não há sinais de arrombamento. Segundo testemunhas, havia conversas [na casa] por volta das 22h, conversas normais, amigáveis. Quando, de repente, se escuta barulho de móveis se mexendo, foi quando houve a luta”, afirmou Diógenes Fernandes. O delegado destacou que pela situação que a casa estava, o confronto entre o padre e o agressor foi bastante violento. Ele disse ainda que até a quinta já tinha ouvido oito pessoas, entre vizinhos e amigos do padre.

A polícia encontrou uma quantia de R$ 8 mil na casa, valores que pertenciam à paróquia. Outros objetos de valor também não foram roubados pelo agressor. O que faz a polícia crer que o crime não se trata de um latrocínio. O carro do religioso foi levado, mas o delegado afirmou que ele foi usado apenas na fuga do agressor, tanto que foi encontrado ainda na tarde de quinta, na cidade de Solânea.

“Foi um homicídio em decorrência de uma questão interpessoal, alguma desavença ocorrida ali, é precoces para afirmarmos alguma linha”, ressaltou o delegado Diógenes.

O corpo do padre Pedro Gomes vai ser enterrado na cidade de Guarabira após velório na Catedral da Luz.