Vida Urbana


Três acusados de assassinar a vendedora Vivianny Crisley vão a júri popular




Reprodução
Reprodução
Corpo de Vivianny foi encontrado no dia 7 de novembro em uma mata na cidade de Baeyux

Três acusados de matar a vendedora Vivianny Crisley em 2016 vão a júri popular. A decisão foi tomada nesta segunda-feira (14) pela juíza Lilian Frassinetti Correia Cananea em audiência de instrução e julgamento do assassinato da jovem de 29 anos. Ainda não não foi definida a data para o juri de Allex Aurélio Tomas dos Santos, Fágner das Chagas e Jobson Barbosa

Durante a audiência, realizada no Fórum Juiz João Navarro Filho, em Santa Rita, sete testemunhas de acusação, além dos três réus, foram ouvidas. O promotor de Justiça do caso, Onésimo César, e a defesa também tiveram oportunidade de fazer alegações.

Vivianny Crisley passou cerca de três semanas desaparecida, desde que foi vista saindo de um bar na Zona Sul de João Pessoa em 20 outubro de 2016. O corpo dela foi encontrado no dia 7 de novembro em uma mata na cidade de Baeyux; no mesmo dia, o primeiro suspeito de envolvimento no homicídio foi preso. Outros dois suspeitos foram presos no Rio de Janeiro.

À época, em depoimento à polícia, os suspeitos contaram que o motivo do crime teria sido o fato da moça estar gritando muito e pedir para ir pra casa após pegar carona com eles. A vendedora de 29 anos foi morta com vários golpes de chave de fenda, segundo perícia do Instituto de Polícia Científica (IPC). Os três réus respondem pelo crime de homicídio qualificado.

Relembre o caso

A vendedora Vivianny Crisley foi golpeada sucessivamente com chave de fenda na cabeça e seu corpo foi queimado com a ajuda de gasolina e um pneu.

Ela desapareceu no dia 20 de outubro. No dia 7 de novembro um corpo foi encontrado carbonizado em uma mata no município de Bayeux. No dia 11 de novembro, o estoquista Alex Aurélio Tomas dos Santos, 22, foi apresentado pela Delegacia de Crimes contra a Pessoa (Homicídios) da Capital, como um dos suspeitos. Foi ele que entregou os nomes de Jobson e Fagner como participantes do crime de homicídio, que se confirmou. A confirmação de que era o corpo de Vivianny veio no dia 14 de novembro, pós exame de DNA.

No dia 21 de novembro, foram presos Jobson Barbosa da Silva Júnior e Fagner das Chagas Silva, como principais suspeitos de matar Vivianny Crisley. Eles foram presos no Rio de Janeiro e foram trazidos à Paraíba para responder pelo crime. Um quarto suspeito foi preso na manhã de 23 de novembo, suspeito de participação no homicídio da vendedora.