Vida Urbana


Morte de jovem com tiro de espingarda é reconstituída em JP

Suspeito do crime, o namorado dela, acompanhou os trabalhos de perícia.




Reprodução/TV Cabo Branco
Reprodução/TV Cabo Branco
Luana foi atingida com um tiro de espingarda na cabeça no último domingo (23)

A reconstituição da morte da jovem Luana Alverga, de 20 anos, aconteceu na tarde desta quarta-feira (2), em João Pessoa. Os trabalhos da perícia foram realizados no bairro do Roger. Eles tiveram a participação do suspeito do crime, o namorado dela, Yuri Ramos, de 20 anos - que confessa o homicídio, mas afirma que o tiro foi acidental -, acompanhado do advogado dele, Abraão Beltrão. Luana morreu no último domingo (23).

“Ele está profundamente traumatizado, especialmente por ter voltado à cena do fato e revivido os momentos lancinantes que marcaram profundamente a vida ele, a vida da família da menina e a vida da família dele”, afirmou o advogado, acrescentando que já entrou com um pedido de revogação da prisão preventiva do jovem, que está detido no Presídio do Roger, em João Pessoa.

“Espera-se que haja um declínio da competência do caso. Ele sairá do 2º Tribunal do Júri e irá para uma das varas criminais da capital, por se tratar indubitavelmente de um caso culposo”, disse.

O perito criminal responsável pelo setor de Reproduções Simuladas, Herbet Boson, explicou que essa fase é de recolhimento de material. “A gente pegou a versão de Yuri e a segunda etapa é pegar todos os laudos produzidos - de local de crime, balística e IML - e confrontar com essa versão”, comentou, ressaltando que Yuri colaborou com os trabalhos.