Vida Urbana

PF deve regularizar entrega de passaportes em cinco semanas na Paraíba

Pelo menos 1,3 mil pessoas estão na fila de espera para receber o documento no Estado.




Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Mais de 1.300 paraibanos solicitaram passaporte no período em que a emissão do documento estava suspensa

Cerca de 1.300 paraibanos estão na fila de espera para receber os passaportes. A confecção do documento foi retomada nesta segunda-feira (24), após o serviço ter ficado quase um mês suspenso por restrição orçamentária da Polícia Federal (PF). A expectativa é que entrega seja regularizada em cinco semanas.

Segundo o chefe da Delegacia de Imigração da da Polícia Federal na Paraíba, delegado Rodrigo Carvalho, os dados das 1.300 pessoas que solicitaram passaporte através de uma das três delegacias regionais na Paraíba já foram enviados para a Casa da Moeda do Brasil (CMB). "Toda o processo de impressão do documento é feito pela Casa da Moeda, e quem solicitou o documento na Paraíba teve seu nome incluído da fila de espera nacional, que vai observar a ordem cronológica dos pedidos", disse.

Em nota, a Casa da Moeda confirmou que recebeu os arquivos com os dados pessoais para impressão do documento na sexta-feira (21) e afirmou que o órgão vai trabalhar para que os documentos sejam entregues o mais rápido o possível. "Por entender a importância da urgente normalização do serviço, a CMB vai trabalhar 24 horas por dia e sete dias por semana a partir de segunda-feira dia 24 de julho de 2017, arcando com custos extras para atender a todas as solicitações feitas pelos cidadãos nos postos do DPF durante os dias de suspensão", diz a nota.

O delegado Rodrigo Carvalho disse, ainda, que durante o período não houve a suspensão na solicitação de novos passaportes, apenas na impressão dos mesmos, e que espera poder normalizar a entrega de passaportes o mais rápido o possível. "A tendência é que a entrega seja normalizada nos próximos dois meses e a entrega dos passaporte volte a ser como de costume para sete dias", afirmou.