Vida Urbana


Justiça mantém condenação de traficantes a 17 anos de prisão

Condenados recorreram a decisão de primeira instância.




A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba manteve, nesta terça-feira (11), a condenação de 17 anos de prisão a três traficantes que foram presos em 2010, nas proximidades do município de Cabaceiras, no Cariri. Os três condenados haviam apelado do veredicto.

Genildo Rodrigues, Fagner Borges e Jeorge Simoney foram presos no dia 8 de julho de 2010 quando tentavam passar numa blitz policial, na BR-412, nas imediações do contorno de acesso à cidade de Cabaceiras. Durante a abordagem, os três portavam certa quantia de maconha. No veículo vistoriado, foram encontrados com os réus cerca de R$ 12 mil, quatro armas de fogo, munição, aproximadamente um quilo de maconha, além de máquinas eletrônicas e comprovantes de depósitos bancários.

Conforme a Justiça, os acusados faziam tráfico de entorpecente em consórcio, no Nordeste brasileiro, mais precisamente do Brejo paraibano para o Sudeste do país, principalmente para os Estados de Minias Gerais e São Paulo. Genildo teria vindo do Sul/Sudeste para Cacimba de Dentro, onde estaria em casa de familiares; os outros dois teriam vindo depois para o Brejo, ficando um em Guarabira e o outro em Solânea, onde comercializavam as drogas e as armas de fogo, além de fazer remessas em dinheiro para uma conta bancária de titularidade da irmã de Fagner Borges.

Na sentença, o juiz da primeira instância absolveu os denunciados da imputação relativa ao crime de associação para o tráfico e os condenou a 17 anos e seis meses de reclusão e a 1.040 dias-multa.

Os réus apelaram da decisão dizendo que a acusação deixou de individualizar a conduta de cada um, comprometendo o exercício de suas defesas. Os três pediram a absolvição alegando a inexistência de provas suficientes às suas condenações. Os pedidos foram negados pelo relator Carlos Antônio Sarmento.