Vida Urbana


Barragens Coremas e Mãe D'água passam por obras de recuperação

Investimento aplicado para recuperação das barragens está orçado em R$ 16,27 mi. 




Divulgação - Dnocs
Divulgação - Dnocs
Obras foram iniciadas durante o mês de maio e tem o cronograma de conclusão previsto para o período de um ano e quatro meses

As obras de recuperação das barragens de Coremas e Mãe D'água, na região do Alto Sertão, passam por modernização na estrutura para a chegada das águas pelo Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco, prevista para 2018. Uma equipe formada por mais de 100 profissionais está envolvida nos serviços do complexo que integra às duas barragens, considerado o maior reservatório do estado.
 
O coordenador do Departamento Nacional de Obras Contra às Secas (Dnocs), na Paraíba, Alberto Gomes Batista, explicou que as obras de recuperação incluem o melhoramento do coroamento das barragens, troca de comportas, limpeza no enrocamento de pedras e substituição de placas com rachaduras. “Esse processo de recuperação inclui uma série de ações nas duas barragens que deixará o complexo preparado para a chegada das águas. É uma obra que exige muito trabalho técnico”, disse. 
 
O investimento aplicado para recuperação das barragens pelo Ministério da Integração, através do Dnocs, está orçado em R$ 16,27 milhões e deve beneficiar mais de 70 mil pessoas em toda região.
 
Essa é a primeira vez que o complexo passa por melhorias, desde sua construção. Às obras foram iniciadas durante o mês de maio e tem o cronograma de conclusão previsto para o período de um ano e quatro meses. 
 
Segundo dados da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), as duas barragens passam por situações críticas em função dos níveis da água abaixo de 10%. O complexo tem capacidade para acumular mais de 1,1 bilhão de m³.