Vida Urbana


Ramon Schnayder é alvo de inquérito do MPF por recebimento irregular de remuneração da UFPB

De acordo com MPF, ele, que é servidor público, teria tirado licença de 3 anos e não voltou às atividades.




Divulgação
Divulgação
Ramon é ocupante do cargo de assistente em administração no CCHLA da UFPB

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou um inquérito para apurar um suposto recebimento irregular de remuneração pelo cantor paraibano Ramon Schnayder, servidor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

De acordo com publicação no Diário do Ministério Público Federal Eletrônico datada da última segunda-feira (3), Ramon Schnayder de Franca Filgueiras D'Amorim teria tirado uma licença de 3 anos, período já terminado, para "tratar de assuntos particulares", sem ter retornado às atividades e "recebendo sua remuneração de maneira irregular, sem a devida prestação de serviços".

O inquérito civil foi instaurado pelo procurador da República Rodolfo Alves Silva e convertido de uma Notícia de Fato, que partiu de uma representação anônima.

Ramon é ocupante do cargo de assistente em administração, vinculado ao Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFPB.

A reportagem do JORNAL DA PARAÍBA entrou em contato com o empresário do artista para repercutir a questão. Por meio de nota, o empresário do cantor, Igor Kawabe disse que o artista não foi notificado e ainda não tem conhecimento do inquérito. "Ramon Schnayder continua trabalhando assiduamente na instituição, com todas as fichas de ponto assinadas", afirmou a nota.