Vida Urbana


Programa vai levar internet para mais de 16 milhões de nordestinos

Nordeste Conectado vai beneficiar universidades e escolas públicas.




Rafael Carvalho/MEC
Rafael Carvalho/MEC
Programa foi anunciado nesta sexta-feira (30), pelo Ministro da Educação, Mendonça Filho, no Porto Digital no Recife

Um programa do Governo Federal vai levar internet em alta velocidade para mais de 16 milhões de nordestinos. O Programa Nordeste Conectado, anunciado nesta sexta-feira (3), no Porto Digital, em Recife, vai interligar as instituições federais de educação e pesquisa à Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). O programa vai beneficiar cerca de 16,3 milhões de nordestinos.

Serão beneficiados com o programa 39 campi de insitituições federais de ensino, dos quais três terão pela primeira vez internet de alta velocidade e de alta qualidade. Além dos 39 campi, outras 12,6 mil escolas públicas podem ser beneficiadas com o programa. Com o Nordeste Conectado, essas instituições terão acesso a uma rede com possibilidade de alcançar uma velocidade de 100 Gbps.

Durante o lançamento do programa o Ministro da Educação, Mendonça Filho, destacou que o programa é um passo importante para a melhoria da educação e da pesquisa na região. “Em um tempo em que a internet e a tecnologia contribuem ainda mais com o avanço da ciência, seja por meio de pesquisas ou trocas de conhecimento, vamos conectar, em alta velocidade, as principais universidades, institutos, centros de pesquisas e parques tecnológicos à RNP do Nordeste”, disse.

Para implantar a Fase 1 do Nordeste Conectado, prevista para operar a partir do mês de dezembro, o MEC vai investir R$ 25 milhões em 2017. Nessa primeira etapa, haverá um aumento da capacidade do backbone (rede de alto desempenho) da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) para 100 Gbps no Nordeste, beneficiando 23 campi de institutos e universidades federais no interior com velocidade a partir de 1 Gbps, ou seja, 59% do público-alvo do programa.

Com a operação, o backbone da RPN vai passar por mais de 70 cidades, cuja população gira em torno de 16 milhões de pessoas. Quando estiver em andamento, no ano de 2018, a previsão é que a RNP venha a gerar uma economia anual de R$ 3,7 milhões no atendimento a essas instituições, no custeio de conexões com velocidades limitadas (de até 100 Mbps) e conexões por satélite no interior (de até 10 Mbps).

O diretor-geral da RNP, Nelson Simões, comemorou a iniciativa. “O Programa Nordeste Conectado é uma ação extremamente importante para suportar a ampliação da infraestrutura que atenderá as universidades, institutos federais, hospitais e a comunidade acadêmica em geral nos próximos 20 anos”, disse. “Essa parceria permitirá alcançar o interior do Nordeste em alta velocidade, interligando as principais instituições de conhecimento”.

O Programa Nordeste Conectado é fruto de uma cooperação técnica firmada entre o MEC, a RNP, e o Ministério de Minas e Energia, por meio da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf). Seu principal objetivo é o compartilhamento de infraestrutura ótica em toda região Nordeste, tendo como suporte as linhas de transmissão da Chesf.