Vida Urbana

Suspeito de explosões de banco, homicídio e tráfico é morto em Soledade

Leandro Frade trocou tiros com policiais, foi baleado e morreu no Trauma em Campina Grande. 




Divulgação
Divulgação
Polícia apreendeu espingardas, munições, maconha, crack e uma balança de precisão usada nos pontos de vendas de drogas

 Suspeito de praticar crimes de homicídio, tráfico de drogas e explosões de caixas eletrônicos,
O município de Soledade, no Agreste da Paraíba, foi palco de uma troca de tiros que culminou com a morte de Leandro Frade de Oliveira, de 20 anos, mais conhecido com “Neném do Alto”. Na casa dele, a Polícia apreendeu duas espingardas calibre 12, uma delas de repetição, munições do mesmo calibre, maconha, crack e uma balança de precisão usada nos pontos de vendas de drogas para pesar entorpecentes. O corpo de Leandro Frade foi encaminhado para o Gemol de Campina Grande para passar por perícia e depois ser liberado para a família.

Operação Narcos

Policiais civis da 12ª Delegacia Seccional de Esperança, em uma ação conjunta com policiais militares do 10º BPM, conseguiram localizar Leandro Frade. A operação foi realizada na cidade de Soledade. “Neném do Alto” era um dos alvos da Operação Narcos, realizada este ano no mês de maio na cidade de Soledade, quando sete pessoas foram presas.

Ele conseguiu escapar do cerco policial, mas o paradeiro de Leandro foi descoberto durante os novos levantamentos policiais. A investigação mostrou que ele estava escondido na cidade de Soledade, em uma casa no bairro Alto do São José, em companhia de outros três homens que também são procurados pela Justiça.

Caçada

Para não levantar suspeita, os policiais se reuniram em Campina Grande e de lá seguiram para a cidade de Soledade para cumprir os mandados de prisão e de busca e apreensão. Durante as buscas na primeira residência, os policiais ouviram um barulho estranho na casa vizinha e quando chegaram ao local foram recebidos por vários disparos de arma de fogo. Houve troca de tiros e Leandro Frade foi atingido e morreu durante atendimento no Hospital de Trauma de Campina Grande.

“Leandro já estava sendo procurado há vários meses. Ele tinha três mandados de prisão por tráfico, explosões a caixas eletrônicos de agências bancárias na região e um homicídio. Ele também aparece em outros levantamentos policiais como suspeito de praticar 15 assassinatos. Os três homens que estavam dando apoio a ele conseguiram fugir, mas as nossas investigações vão continuar e eles serão presos para responder na Justiça pelos crimes que cometeram”, disse o delegado seccional Henri Fabio.