Vida Urbana


Sistema de radiocomunicação com criptografia é implantado na Paraíba

Empresa vai implantar Laboratório de Soluções Tecnológicas de Segurança.




Angélica Nunes
Angélica Nunes
Coronel Euller, recebeu um dos equipamentos das mãos do governador em nome da Polícia Militar

“De uma lambreta para uma espécie de ferrari”, assim o governador Ricardo Coutinho (PSB) comparou o antigo com o novo sistema de radiocomunicação em funcionamento em 20 cidades da Paraíba. A primeira transmissão foi realizada na manhã desta segunda-feira (19), no Palácio da Redenção, com a presença do representante da Motorola Solution, que assinou um protocolou de intenções para a implantação de um Laboratório de Soluções Tecnológicas de Segurança Pública no estado.

Conforme antecipou Ricardo Coutinho, o laboratório será instalado em João Pessoa, em um terreno doado pelo desembargador aposentado Júlio Paulo Neto. “Foi um pedido aceito pela empresa que ganhou a licitação para trazer o laboratório, onde estaremos permanentemente produzindo soluções tecnológicas para todo o Brasil”, explicou o governador.

O contrato com a Motorola Solutions, de R$ 33 milhões, servirá para implantar o sistema de rádiocomunicação em pelo menos 97% do território paraibano. O sistema inclui 40 torres de repetição para levar sinal claro, criptografado e com alta disponibilidade para todas as forças de segurança Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Sistema Penitenciário e Departamento Estadual de Trânsito (Detran). 

O contrato também prevê a entrega de aproximadamente 5.600 rádios, sendo 4 mil portáteis, 1.300 móveis e 332 fixos, com capacidade de expansão conforme demanda dos usuários. A tecnologia digital permite o desenvolvimento de diversas aplicações como a utilização do GPS, que fornece a localização exata de cada terminal, seja ele de viatura ou rádio de mão.

O secretário de segurança pública do estado, Cláudio Lima, destacou que apesar de ser uma ação de governo pouco visível para a sociedade, como as de saneamento básico, o serviço deverá agilizar o trabalho da polícia, com a integração das comunicações entre os atores. “ Isso vai possibilitar concretamente respostas muito mais ageis por parte da segurnaça publica em dunção da copbertura do sisstema”, comemorou.