Vida Urbana

Protesto de familiares de internos e sindicalistas da Fundac acontece em frente ao Lar do Garoto

Ato ecumênico contou com cruzes contendo os nomes dos sete menores mortos em rebelião no local.




Parentes dos internos do Lar do Garoto, em Lagoa Seca, além de sindicalistas da Fundação de Desenvolvimento do Adolescente e da Criança da Paraíba (Funcac), protestaram em frente à unidade nesta terça-feira (13). O protesto foi realizado como um ato ecumênico, com cruzes contendo os nomes dos sete menores mortos em rebelião no local em frente ao portal principal do centro.

As irregularidades na unidade também teriam motivado o protesto, conforme a presidente do sindicato dos trabalhadores da Fundac, Lúcia de Fátima Brandão.

“As superlotações, o descaso, a falta de políticas públicas, a falta de oficinas pedagógicas, de profissionalização dos jovens. As nossas unidades socioeducativas (da Paraíba) hoje são apenas verdadeiros caixões, que enterram a dignidade desses jovens”, afirmou em reportagem da TV Paraíba.

De acordo com o presidente da Funcad, Noaldo Meireles, o Lar do Garoto conta com oficinas, mas precisa de reparos, sobretudo após as rebeliões. “Essa semana as atividades ainda estão suspensas. Mas, esperamos a partir da próxima segunda-feira (19) fazer as retomadas”, disse.

“A gente ainda tem algumas situações de alguns quartos com o número de internos maior do que se deveria, mas nós esperamos até sexta-feira (16) terminar essa reforma, para está com a situação normalizada”, acrescentou o presidente da Fundac, após a TV Paraíba flagrar quartos superlotados, internos se alimentando no chão e atividades em locais improvisados.