Vida Urbana


Estudo aponta mais de 3 mil novos casos de câncer entre mulheres na PB em 2016

Dado do Instituto Nacional do Câncer foi divulgado pela médica Mônica Liseux durante palestra em João Pessoa.




Mais de 3 mil novos casos de câncer entres as mulheres na Paraíba foram registrados em 2016. Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), um total de 3.120 novos casos da doença afetaram paraibanas no ano passado. O dado foi divulgado pela médica ginecologista, Mônica Liseux, durante uma palestra no bairro do Mandacaru em João Pessoa no sábado (10).

A ginecologista destacou que o câncer de mama lidera o número de casos, ocupando o primeiro lugar com 25,65%, em segundo aparece o colo do útero com 10,55%, seguido do corpo do útero com 3,2% e em quarto lugar o câncer de ovário com 2,8%. Segundo a ginecologista, as mulheres ainda têm receio de realizar os exames preventivos, que possibilitam o rastreio precoce de doenças que podem ser tratadas.

“A mulher que entende a importância de cuidar de sua saúde será agente multiplicadora desse processo, que se estende além dessa ação”, destacou. A palestra gratuita foi realizada pela Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas da Paraíba (Coopanest-PB), em parceria com a Fundação de Assistência e Proteção à Adolescência e à Infância (Fapai), que cedeu o espaço da instituição para a realização da atividade.

Durante o evento, ainda foi exibido um vídeo sobre a saúde da mulher e disponibilizados serviços de verificação da pressão arterial, glicemia, além da distribuição de kits de higiene pessoal e um lanche coletivo para o público feminino que compareceu ao local. A moradora do bairro de Mandacaru, Jaqueline da Cruz, de 32 anos, a participou da ação e comentou que precisa ter maior atenção à saúde.

“Não vou ao médico com frequência, só quando estou bem doente, mas depois das orientações que recebi aqui vou procurar me cuidar mais. A maioria das pessoas só cuida da saúde quando passa por algum problema, por isso, a prevenção é fundamental para evitar que as doenças”, defendeu.

A presidente da Coopanest-PB, a anestesiologista Fátima Oliveira destacou que, “a cooperativa busca adotar uma postura socialmente responsável e com isso, proporcionar uma melhor qualidade de vida para a sociedade”, ressaltou. A vice-diretora administrativa da Fapai, Dilma Araújo, avaliou a ação de forma positiva. “A saúde é algo primordial na vida das pessoas, então receber os médicos na comunidade é um ganho enorme para a população. O câncer é algo que precisa ser tratado de forma preventiva, por isso é importante esse trabalho de conscientização”, concluiu.