Vida Urbana


HackFest: maior maratona hacker do Brasil vai reunir 3 mil pessoas em JP

Terceira edição do HackFest começa nesta sexta-feira (9), no Espaço Cultural.




Inez Leite/Ministério Público da Paraíba
Inez Leite/Ministério Público da Paraíba
Cinco mil metros quadrados do Espaço Cultural vão ser destinados para a realização da maior maratona de programação do Brasil

O Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, está sendo preparado para receber cerca de três mil pessoas durante a a terceira edição do HackFest Contra a Corrupção. A partir desta sexta-feira (9) até o dia 11 de junho, os participantes se reunirão para participar de mais de 30h de maratona de programação, paletras e oficinas.

O evento, promovido pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Rede Paraíba de Comunicação e mais de 20 outros órgãos e instituições, tem como tema 'Tecnologia, Transparência e Cidadania' e é a maior maratona hacker de programação do país.

Estrutura

Uma super estrutura está sendo montada na Praça de Eventos do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, para receber os participantes e visitantes da maratona. A estrutura total do evento possui cerca de cinco mil metros quadrados e conta com: a "Nave Principal" climatizada e com 489m² (parte em parede de vidro para acompanhamento dos trabalhos pelos visitantes); área de recreação (Food Truck Park e Área de Relaxamento); e painéis de LED (4x4).

Em todo espaço do HackFest vão estar distribuídos totens de autoatendimento, computadores com informações sobre o HackFest, sobre João Pessoa e sobre a Paraíba, segurança de uma brigada com dez bombeiros civis e 30 horas de atividades em uma programação dinâmica nos três dias do encontro.

Na maratona de programação se inscreveram 180 maratonistas, divididos em equipes formadas por oito pessoas compostas, preferencialmente, por cinco programadores ou desenvolvedores, um designer e um comunicador, competindo no desenvolvimento de soluções tecnológicas, para a envolver a sociedade no combate a corrupção.

Programação

Autora de cinco livros e premiada três vezes como melhor palestrante em congressos nos Estados Unidos, a escritora e consultora Martha Carrer Cruz Gabriel é a grande atração do primeiro dia da 3ª edição do HackFest Contra a Corrupção. A palestra da escritora acontece a partir das 15h30 do próximo dia 9 (sexta-feira), no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural, logo após a solenidade de abertura do HackFest 2017.

O segundo dia do evento, no sábado (10), será marcado pela realização de três painéis de debates, que ocorrerão paralelamente à maratona de programação. Os painéis tratarão de temas como tecnologia, cidadania, gestão pública, combate à corrupção e transparência pública.

Os painéis serão realizados no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural José Lins do Rego, em Tambauzinho, João Pessoa. O Painel 1 será realizado das 8h30 às 12h e debaterá a “Tecnologia da Informação a Serviço da Cidadania”, tendo como palestrantes Irio Musskopf, Sílvio Meira, Stephan Garcia e Wesley Vaz.

Ministrado por Affonso Guizzo Neto, Carlos Ragazzo, Júlio Marcelo e Roberto Livianu, o Painel 2, intitulado “O Direito na Gestão Pública e no Combate à Corrupção”, acontecerá das 14h às 17h30. Já o Painel 3 terá como tema a ‘Transparência Pública’ e ocorrerá das 19h às 21h30. Os palestrantes deste painel serão Gil Castelo Branco, Nicole Verillo, Marlon Reis e Fábio George Cruz da Nóbrega.

Além das palestras, ainda haverá oito oficinas que ocorrerão paralelamente a maratona de programação. No sábado (10), as três primeiras oficinas serão realizadas simultaneamente a partir das 8h30. Na Sala 1 acontecerá a Oficina 1, com o tema “Crimes digitais, cyberbulying e o uso seguro da internet”, tendo como facilitador Rodrigo Nejm. Na Sala 2 ocorrerá a Oficina 2, intitulada “Corrupção nas licitações públicas”, com os facilitadores Franklin Brasil, Felipe Leitão Roquete e Bruno Garcia. Já na Sala 3, a Oficina 3 terá como o “Tratamento de denúncias do cidadão”, com a facilitadora Débora Queiroz Afonso.

Na tarde do mesmo dia haverá mais três oficinas: na Sala 1, a Oficina 4 abordará a “Lei de Acesso à Informação: como usar, como implementar”, com o facilitador Abelardo Lopes; na Sala 2, a Oficina 5 trará o debate sobre a “Integridade empresarial”, com os facilitadores João Peixoto Neto e Luana Almeida; e na Sala 3, a Oficina 6 vai debater o tema sobre “Cidadania e controle social: como transformar a realidade em nossas cidades”, com os facilitadores Caio Henrique, Henrique França, Karine Oliveira, Maria Júlia Wotzik e Sérgio Aires.

O ciclo de oficinas encerrará no domingo (11) com duas atividades. Às 9h30, na Sala 1, a Oficina 7 terá como tema a “Transparência pública e controle da corrupção”. Os facilitadores são Andréa Nunes, Gustavo Rabay e Fabiano Emídio. Também começando às 9h30, Oficina 8 acontecerá na Sala 2 com o tema “Metodologia hackfest”.

Etapas

A 3ª Edição do Hackfest Contra a Corrupção vai ter duas etapas. A primeira delas, que começa nesta sexta-feira (9) até o domingo (11), acontece no Espaço Cultural José Lins do Rego, localizado na Rua Abdias Gomes de Almeida, 800, no Bairro de Tamabuzinho em João Pessoa. Nesta primeira etapa acontece os eventos de desenvolvimento de softwares (evento máster) e fomento à cidadania (eventos satélites).

Durante a primeira etapa a comissão julgadora composta por 13 integrantes do MPPB, da CGU, do TCE-PB, da UFCG, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), do Instituto de Educação Superior da Paraíba (IESP), do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), escolherá os melhores aplicativos e softwares desenvolvidos na maratona.

A segunda etapa acontece no dia 18 de agosto, com a realização do evento para a entrega da premiação e disponibilização à sociedade dos melhores softwares desenvolvidos, programada para o Centro Cultural Ariano Suassuna, localizado no Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), também em João Pessoa.

Organização e Parceria

A Comissão Organizadora do HackFest é composta por Octávio Celson Gondim Paulo Neto (promotor de Justiça do MPPB), Gabriel Aragão Wright (Controladoria Geral da União – Regional Paraíba), Fábio Oliveira Guerra (Tribunal de Contas da Paraíba), Marcos Vinícius Ferreira Cesário (Ministério Público da Paraíba) e Inez Cândido Borges da Silva Leite (Ministério Público da Paraíba).

A terceira edição do HackFest é realizado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), pela Rede Paraíba de Comunicação, Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Contas do Estado (TCE), Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), Labortório Analytics da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Governo da Paraíba, Banco do Brasil e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), a Associação Paraibana do Ministério Público (APMP-PB), o Instituto Não Aceito Corrupção, Associação dos Servidores da Procuradoria Geral de Justiça do Estado da Paraíba (ASMP-PB), Associação dos Servidores do Ministério Público da Paraíba (SINDSEMP-PB), Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Tribunal de Contas da União (TCU), Associação Nacional para Inclusão Digital (Anid), universidade Federal da Paraíba (UFPB), Contas Abertas, Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba (Sebrae), Instituto dos Auditores Internos do Brasil (IIA Brasil), SaferNet, Instituto de Educação Superior da Paraíba (IESP), Operação Serenata de Amor, Transparência Internacional, Controladoria Geral do Município de João Pessoa (CGM), Associação Nacional dos Auditores de Controle Externo dos Tribunais de Contas do Brasil, Sindicato dos Servidores do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (SindContas), Associação dos Magistrados da Paraíba (AMPB), Controladoria Geral do Estado (CGE), SomaBrasil, Exército Brasileiro e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).