Vida Urbana

Vigilante atingido por tiro na cabeça morre no hospital em João Pessoa

Um dos jovens revelou que tentou matar o vigilante por ele ter uma desavença com seu pai.




Walter Paparazzo/G1
Walter Paparazzo/G1
Vigilante foi atingido com tiro na cabeça, e jovem revelou que homem tinha desavença com seu pai

Morreu no hospital o vigilante de 60 anos baleado no bairro Mangabeira VIII, em João Pessoa, no início da manhã de terça-feira (16). Ele chegou a ser socorrido e encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, passou por procedimentos médicos de emergência, ficou internado em estado grave, mas não resistiu. A confirmação da morte do vigilante foi publicada no boletim médico divulgado pelo hospital Hospital no início desta quarta-feira (17).

O crime aconteceu por volta das 6h da terça-feira (16) e a vítima foi atingida por um tiro na cabeça. A dupla suspeita do crime foi presa no mesmo bairro em que houve o homícidio, a cerca de 200 metros do local. Os dois suspeitos são vizinhos. Eles têm 19 anos e são ex-alunos da escola pública em que o vigilante trabalhava. Com eles foram apreendidas também drogas e uma espingarda.

Segundo o tenente coronel Valério, um dos homens presos negou envolvimento no crime a princípio, mas depois confessou que tentou matar o homem pois ele  tinha tido uma desavença com seu pai há dois meses.

Já o segundo preso é suspeito de ter pilotado a moto que em que a dupla fugiu, que também foi apreendida. Ele já cumpriu pena por roubo no presídio do Presídio do Roger, segundo a polícia. Os dois foram levados agora para a Central de Polícia Civil, no Geisel.

A dupla disse que jogou a arma usada no crime, um revólver calibre 38, em um terreno, mas a polícia acredita que eles apenas não queriam identificar o local onde ela foi guardada.