Vida Urbana


Seis pessoas são presas na segunda fase da 'Operação Gabarito'

Um dos presos é servidor do Detran-PB. Mais detalhes vão ser divulgados pela polícia na segunda (15).




Divulgação/Polícia Civil
Divulgação/Polícia Civil
Grupo chegava a cobrar até R$ 150 mil reais por aprovação em concursos

Seis pessoas foram presas na segunda etapa da 'Operação Gabarito', que investiga fraudes em concursos públicos no Nordeste, na manhã desta sexta-feira (12), em João Pessoa. Segundo o superintendente da Polícia Civil, Marcos Paulo Vilela, detalhes da operação vão ser divulgados na próxima segunda-feira (15). O grupo chegava a cobrar até R$ 150 mil reais por aprovação em concursos.

"Só confirmamos as seis prisões. Mais informações apenas na segunda. Não estamos confirmando dados, nomes e outros documentos [dos presos e investigados]", afirmou Marcos Paulo.

Questionado sobre novas diligências da operação, o superintendente da Polícia Civil preferiu não comentar sobre o assunto. 

Um dos presos é o servidor do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB), Diones Leite. Segundo o advogado dele, Iarley Maia, o suspeito nega participação no esquema. "A única coisa que existe é que ele conhece uma das pessoas envolvidas, mas isso não quer dizer que ele fez nada ilegal", disse o advogado. A defesa do suspeito vai pedir a revogação da prisão temporária.

A prisão foi confirmada pelo órgão, que ainda informou que vai apurar a informação para que as medidas cabíveis possam ser tomadas. Sobre a exoneração do servidor, caso constatado a fraude na aprovação no concurso de 2013, a assessoria indicou o contato com José Serpa, assessor jurídico do Detran-PB. "O Detran vai esperar a finalização do inquérito policial e, caso comprovado [a fraude na aprovação] vão ser tomadas as medidas cabíveis para afastá-lo do quadro de funcionários", contou Serpa.

Operação Gabarito

Dezenove pessoas foram presas no fim de semana por suspeita de fraudes em concursos públicos na Paraíba e em outros estados do Nordeste, de acordo com a Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa. Segundo as investigações, mais de 400 pessoas foram beneficiadas pelo esquema através do pagamento de R$ 12 milhões à quadrilha durante os últimos dez anos.

>>> Quadrilha cobrava até R$ 150 mil para aprovar candidatos em concursos públicos; saiba detalhes

De acordo com o delegado titular de Defraudações na capital, Lucas Sá, entre os concursos que podem ter sido fraudados estão três de guardas municipais, pelo menos seis de prefeituras no litoral e interior, um de Câmara Municipal, além do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. Mas, segundo a polícia, a lista ainda inclui outros concursos municipais, estaduais e federais.

As investigações começaram há cerca de três meses e culminaram na Operação Gabarito, realizada neste fim de semana. Os detalhes da atuação da quadrilha devem ser apresentados em uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (8).