Vida Urbana

Greve altera atendimentos das clínicas-escolas da UEPB

Apenas 30% dos serviços poderão funcionar enquanto a greve durar




Com a greve na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), alguns atendimentos das clínicas-escolas da instituição mudam. De acordo com o que rege a legislação, apenas 30% dos serviços poderão funcionar enquanto a greve durar. Alguns pacientes vão recorrer às clínicas particulares.

A clínica-escola de fisioterapia, atendia cerca de 100 pacientes por dia. Com a greve, apenas os casos mais graves terão prioridade. “Os projetos de extensão que são com pacientes críticos, como pacientes com microcefalia e pacientes com problemas respiratórios terão prioridade. Os outros vão ficar em standby”, disse a coordenadora, Lourdinha Oliveira.

Alessandra Sousa é mãe do pequeno Samuel, que tem microcefalia. Segundo ela, com a rotina de fisioterapia, o filho tem evoluído no tratamento. “Consegui uma vaga aqui na UEPB e achei melhor porque ele faz todo dia e ajuda no desenvolvimento dele. Mas se parar, para o desenvolvimento dele também”, explicou.

A empregada doméstica Vanuza Henrique há dois meses se trata na UEPB de um problema na coluna. Ao chegar lá, teve que voltar para casa. “Disseram que não ia ter atendimento pra mim hoje e não sabem quando é que volta, fico preocupada porque preciso continuar o tratamento”, pontuou.

Conforme informaram os outros departamentos, os atendimentos foram alterados na Clínica-escola de Odontologia, onde só serão feitos tratamento a lase, e os demais suspensos. No departamento de enfermagem, o atendimento segue normal de segunda a sexta no horário de 7h às 13h.