Vida Urbana

Aesa prevê fim de racionamento em Campina Grande em 60 dias

Segundo a agência, a ANA já autorizou a mudança no atual modelo de racionamento das águas de Boqueirão.



Leonardo Silva
Leonardo Silva
Previsão é de que racionamento termine em julho.

Com a chegada das águas da transposição ao espelho do açude de Boqueirão, na noite de terça-feira (18), a esperança de muitos é que o racionamento que atinge Campina Grande e mais 18 municípios comece a ter um fim. Segundo o presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), João Fernandes, a expectativa é de que o racionamento acabe em um período de 60 à 90 dias.

Em reunião recente no Ministério Público da Paraíba, o secretário executivo da Infraestrutura e dos Recursos Hídricos, Deusdete Queiroca, apresentou previsão de fim do racionamento até o dia 20 de junho. Atualmente, em Campina Grande, a população tem vivido com o fornecimento de água três dias por semana contra quatro dias sem uma gota de água nas torneiras. 

“A partir de hoje a Capega pode e deve começar a captar 850 m³ de água. Antes era captado um valor de 650 m³ e com uma captação maior, subentende-se que o racionamento vai ser alterado de forma gradativa, podendo ficar apenas o domingo sem abastecimento”, explicou Fernandes.

Ainda conforme Fernandes, a Agência Nacional das Águas (ANA) já repassou a autorização para alteração do modelo do atual racionamento.

Na semana passada o gerente regional da Capega (Companhia de Água e Esgotos da Paraíba), Ronaldo Meneses, informou que o racionamento só será finalizado quando o manancial atingir cerca de 8,2% da capacidade total, com esse volume o açude sai do volume morto.