Vida Urbana

Centrais sindicais ocupam as ruas de CG em protesto contra a reforma da Previdência

Concentração aconteceu em frente ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).




Divulgação
Divulgação
Trabalhadores dos Correios aderiram ao movimento nacional

Cerca de 350 membros de centrais sindicais participaram de um protesto unificado na manhã desta quarta-feira (15), no Centro de Campina Grande. O movimento foi convocado pela Central Única de Trabalhadores (CUT) contra a reforma da Previdência. A concentração aconteceu em frente ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), na rua Doutor João Lourenço e percorreu as ruas centrais. A Polícia Militar não informou estimativa de público. 

A manifestação começou por volta das 8h30 e algumas categorias levaram outras pautas para o protesto, como foi o caso do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos (Sintect), que reivindicou mais segurança nas agências e são contrários ao fechamento de cerca de 250 estabelecimentos, o que resultaria em mais desemprego, segundo o sindicato. "Isso prejudica todo o funcionamento das agências", disse o diretor do sindicato, José Cavalcante.

Concentração foi na rua do INSS, em Campina Grande

Os manifestantes trataram a proposta de reforma como 'extinção da previdência' e alegaram que essa medida representa uma espécie de 'assalto ao trabalhador'

Durante o percurso, os participantes bloquearam o cruzamento da rua Venâncio Neiva com a avenida Floriano Peixoto, mas não houve congestionamento. A manifestação foi até a Praça da Bandeira, onde ocorreu discursos de representantes sindicais.

O evento reuniu representantes da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Campina Grande (ADUFCG); A Associação dos Docentes da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB); Central Única dos Trabalhadores (CUT); Central Sindical e Popular (CSP); Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE);Sindicato dos Comerciários de Campina Grande; e outros.