Vida Urbana

Greve em escolas estaduais deixa 350 mil alunos sem aula na Paraíba

Além das escolas, as universidades públicas também vão parar nesta quarta.




Leonardo Silva
Leonardo Silva
Estadual da Prata, onde há maior concentração de alunos em Campina Grande, também vai parar as atividades por tempo indeterminado.

As escolas públicas estaduais vão iniciar uma greve por tempo indeterminado a partir desta quarta-feira (15). A decisão foi tomada em assembleia geral realizada na semana passada. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba (SINTEP), entre os principais pontos da pauta estão a reforma previdenciária, as perdas de direitos trabalhistas, plano de cargos e carreiras, assim como o reajuste salarial do ano corrente. Greve deixa 350 mil alunos de 735 escolas sem aula em todo o estado.

Conforme o SINTEP, os mais de 16 mil educadores e servidores paraibanos estarão se unindo à Greve Nacional da Educação, convocada no 33º Congresso Nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). O movimento grevista fará mobilizações na cidade de João Pessoa, Campina Grande e outras cidades como Cajazeiras, Patos e Sousa.

Além da greve das escolas, as instituições públicas como a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e Instituto Federal da Paraíba (IFPB), irão paralisar suas atividades nesta quarta (15). A Universidade Federal da Paraíba (UFPB), está realizando uma reunião na manhã desta terça-feira (14), para discutir se irá aderir ao movimento. Segundo os sindicatos das instituições, a paralisação é um protesto contra a reforma da previdência.