Vida Urbana


Suspeito de matar empresária em CG é liberado pela Polícia Civil

Segundo a delegada, Bruno Franklyn segue sendo investigado por participação no crime. 




O suspeito de atirar e matar a empresária Célia Cirne, preso no dia 28 de dezembro de 2016, foi solto pela Polícia Civil (PC), na segunda-feira (9). A delegada de Roubos e Furtos de Campina Grande, Ellen Maria, informou que a liberação se deu por ordem judicial, mas que Bruno Franklyn Sousa Santos, 24 anos, continua sendo investigado como suspeito de participação no caso. A polícia também prendeu outro homem suspeito de ser o condutor da motocicleta usada na ação.

A empresária Célia Cirne, 69 anos, foi morta com um tiro na cabeça, no dia 24 de dezembro, véspera de natal, no momento em que saía de um estacionamento de uma loja do centro da cidade. Segundo as informações apuradas durante as investigações, Célia teria se assustado com a ação do assaltante e acelerou o carro, quando foi atingida por disparos de arma de fogo na cabeça.

Na manhã do dia 29 de dezembro, a delegacia que investiga o caso convocou uma coletiva de imprensa para apresentar Bruno Flanklyn, como sendo o suspeito de ser o autor dos disparos. Na coletiva, a delegada Ellen Maria informou que o suspeito sabia a rotina da vítima.

A polícia não informou a identificação do homem preso como suspeito de ser o condutor da moto. Ele deve deve ser apresentado em uma coletiva de imprensa convocada para às 10h desta terça-feira (10), no auditório da Central de Polícia, no bairro do Catolé, onde também serão repassados outros esclarecimentos com relação a decisão de soltar Bruno Franklyn.