Vida Urbana

400 mil pessoas têm abastecimento de água restabelecido após fiscalização

Fiscalização no rio Piranhas permitiu que água de Coremas-Mãe D'Água seja destinada ao consumo humano.



Francisco França
Francisco França
Com a apreensão de bombas irregulares, destinadas para irrigação, 3.000 m³/s de água foram devolvidos para o abastecimento de cidades.

Cerca de 400 mil pessoas tiveram o abastacimento de água restabelecido após fiscalização na bacia do rio Piranhas-Açu. A Agência Nacional de Águas (ANA), em parceria com a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), o Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (IGARN) e a Polícia Militar, apreenderam 29 bombas para captação de água para irrigação e lavraram nove autos de infração para novos usuários que foram flagrados com captações irregulares. A fiscalização aconteceu entre os dias 21 e 26 de novembro, na Paraíba e no Rio Grande do Norte.

Com a fiscalização, também foram removidos cacimbões ou barreiros, que retinham a água na região, e houve o fechamento de canais irregulares que desviavam água do rio Piranhas-Açu do seu curso. Como resultado, foram liberados 3.000m³/s de água vindo do açude Coremas-Mãe D'Água, o suficiente, de acordo com a ANA, para atender a demanda de 400 mil moradores de cidades do Sertão da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

As bombas apreendidas ficarão guardadas pela AESA até que os reservatórios Coremas e Mãe d’Água, que passam por forte estiagem prolongada, atinjam níveis seguros para garantir os usos prioritários em situações de escassez hídrica, determinados pela Política Nacional de Recursos Hídricos, que são o consumo humano e a dessedentação de animais. Enquanto a escassez perdurar na região, a ANA, o IGARN e a AESA continuarão com as ações de fiscalização na bacia.

Desde 2013, em conjunto com os órgãos gestores locais, a ANA já realizou 42 campanhas de fiscalização na região do Alto Piranhas,que somaram mais de 600 vistorias e resultaram em mais de 200 autos de infração.