Vida Urbana

Cagepa garante que água de Boqueirão está dentro do padrão de qualidade

Órgão afirma que prefeitura de Campina Grande está politizando o tema e gerando um problema de saúde.



Silvana Torquato
Silvana Torquato
Afirmações foram dadas hoje em coletiva de imprensa na Cagepa

Após declaração da médica e pesquisadora Adriana Melo que fornecer água do açude de Boqueirão para consumo humano é o mesmo que envenenar a população, a Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa) rebateu a Secretaria de Saúde de Campina Grande e afirma que a água do manancial que abastece a cidade está dentro dos padrões de qualidade e própria para o consumo. A afirmação foi dada nesta quinta-feira (1º) em coletiva de imprensa, após divulgação por parte da prefeitura de que a água tratada apresenta uma toxidade em padrões lesivos ao organismo humano.

 
O diretor de Operação e Manutenção do órgão, José Motta, afirmou que a Secretaria de Saúde está politizando o tema e não existe motivo para esse espetáculo, pois “está gerando um problema de saúde pública na cidade”. Já o presidente da Cagepa, Marcus Vinícius, se diz preocupado, já que, com esse alarme falso as pessoas estão deixando de consumir a água de Boqueirão e procurando a de carros-pipa, “que não passa por análise nenhuma. Aí sim pode gerar um problema maior”.
 
Durante a coletiva de imprensa, Marcus Vinícius voltou a ressaltar que Boqueirão apresenta cianobactérias e cianotoxina, mas tudo dentro dos padrões, conforme pesquisas e análises feitas por laboratórios da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Já a professora e pesquisadora da universidade, Weruska Brasileiro, afirmou que atualmente existem três técnicas de tratamento para remover essas cianobactérias e cianotoxina, as quais estão sendo aplicadas na Cagepa. “Então, a população não precisa se preocupar, pois a água que chega nas torneiras é de qualidade e estamos fazendo de tudo para manter esse padrão, pois temos responsabilidade social e empresarial”, enfatizou Marcus Vinícius. 
 
Para 2017, José Motta afirmou que a previsão é de um investimento de R$ 3 milhões em pesquisas e análises nas águas de Boqueirão para que a população receba uma água de qualidade até sua exaustão. 
 
A Cagepa cobrou da Secretaria de Saúde dados mais detalhados dessa pesquisa apresentada pelo órgão e por Adriana Melo para que a população não fique preocupada. A Secretaria de Saúde afirmou que vai se pronunciar durante a tarde desta quinta.