Vida Urbana

Suspeitos da matar Vivianny chegam a João Pessoa

Homens foram presos no morro do Acari, no Rio de Janeiro, na segunda-feira (21).



Mais dois suspeitos da morte da vendedora Vivianny Crisley, de 29 anos, chegaram a Paraíba no fim da manhã desta terça-feira (22). Os homens, identificados como Jobson Barbosa da Silva Júnior e Fagner das Chagas Silva, desembarcaram no Aeroporto Castro Pinto, em Bayeux, na Região Metropolitana de João Pessoa por volta das 11h.

A dupla saiu do avião após todos os outros passageiros do vôo e foi levada para a Central de Polícia. Lá, eles devem ser ouvidos e encaminhados para audiência de custórdia.

>>> Movimento Feminista inicia campanha por justiça para Vivianny

>>> Pai de jovem desaparecida passa mal e é internado

Jobson e Fagner foram presos no morro do Acari, no Rio de Janeiro, na segunda-feira (21). A prisão foi resultado de uma ação da Polícia Civil da Paraíba e ocorreu em cumprimento aos mandados expedidos pela Justiça da Paraíba.  

A jovem Vivianny desapareceu no dia 21 de outubro, depois que saiu de uma casa de shows, na zona sul de João Pessoa. No dia 11 de novembro, o estoquista Alex Aurélio Tomas dos Santos, 22, foi apresentado pela Delegacia de Crimes contra a Pessoa (Homicídios) da Capital, como um dos suspeitos e os nomes de Jobson e Fagner, divulgados como participantes do crime de homicídio, que se confirmou após exame de DNA realizado no corpo que foi encontrado no dia 7 de novembro, na divisa entre os municípios de Bayeux e Santa Rita.

Alex contou à polícia que saiu do bar com a moça e os dois rapazes em um carro. Ele afirmou que pediu para ficar em casa, no distrito de Várzea Nova, em Santa Rita, e o trio tomou um outro destino. Depois, os dois voltaram até ele com as roupas sujas de sangue e disseram que tinha matado a vendedora por estar gritando muito e pedindo para ir para casa. Os dois tomaram banho e dormiram na casa de Alex.

Segundo a polícia, Vivianny estava se relacionando com Juninho e trocava mensagens com ele há algum tempo por meio de aplicativo de mensagens. Ele já responde por estupro de vulnerável e roubo.