Vida Urbana

Polícia Federal deflagra operação contra pornografia infantil na Paraíba

Estão sendo cumpridos 70 mandados de busca e apreensão e prisão, em mais 15 estados.



Tânia Medeiros
Tânia Medeiros
Esta fase da operação investiga a participação de 67 pessoas na troca e na distribuição dos conteúdos ilegais

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira (22) a Operação Darknet II, onde cumpre 70 mandados de busca e apreensão e de prisão em 16 estados para combater a rede de distribuição de pornografia infantil na chamada “Deep Web” - parte onde estão conteúdos que não são indexado pelos mecanismos de busca padrão. A Paraíba é um dos estados onde acontecem investigações. Esta fase da operação investiga a participação de 67 pessoas na troca e na distribuição de fotos e vídeos com conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes.

De acordo com nota da PF, cerca de 300 policiais federais cumprem as ordens judiciais nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Maranhão, Pará e Amazonas.

Durante as investigações da Operação Darknet II, a Polícia Federal antecipou o cumprimento de sete ordens judiciais para evitar o possível abuso sexual de crianças no Paraná, Distrito Federal e Rio de Janeiro.

Desde a primeira fase da Operação Darknet, em 2014, a Polícia Federal desenvolve uma metodologia de investigação e ferramentas para identificar usuários da “Dark Web” – considerado um meio seguro de divulgação de conteúdos variados de forma anônima.

“A arquitetura desse ambiente impossibilita a identificação do ponto de acesso (IP), ocultando o real usuário que acessa a rede. Poucas polícias no mundo obtiveram êxito em investigações na Dark Web, como o FBI, a Scotland Yard e a Polícia Federal Australiana”, informa nota da PF.