Vida Urbana

Marcela Temer discute criação de Unidade de Acompanhamento de Microcefalia em CG

Médica paraibana Adriana Melo esteve presente na reunião que discutiu o assunto.



Divulgação
Divulgação
Ministro e primeira-dama visitaram unidade Lago Norte da Rede Sarah, em Brasília

Campina Grande pode ganhar um centro de acompanhamento de crianças com microcefalia vinculado a Rede Sarah. O assunto foi discutido na manhã desta quarta-feira (16) pelo Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, e pela embaixadora do 'Programa Criança Feliz', primeira-dama Marcela Temer. Eles visitaram a unidade Lago Norte da Rede Sarah, em Brasília, referência internacional em reabilitação neuromotora.

A médica paraibana Adriana Melo, líder do grupo de pesquisa que identificou o zika vírus no líquido aminiótico de grávidas de bebês microcéfalos, também participou da visita. Diretora do serviço de assistência a bebês com zika no Instituto de Pesquisa Professor Joaquim Amorim Neto, em João Pessoa, Adriana diz que iniciativas como essa são urgentes.

“Em Campina Grande, nós já estamos desenvolvendo um trabalho de estímulo precoce com excelentes resultados, com crianças que já começam a querer dar os primeiros passos. Com um centro maior e com a experiência do Sarah, com certeza teremos novas conquistas para essas crianças”, afirmou.

Parcerias

O objetivo da visita foi estabelecer parceria para a criação de centros de acompanhamento de crianças com microcefalia não apenas em Campina Grande, mas em Recife (PE), outra cidade com altos índices da malformação. A intenção é que os centros ofereçam tratamento, acompanhamento e estimulação para crianças de 0 a 3 anos e suas famílias, além de possibilitar que as mães trabalhem enquanto os filhos são atendidos.

O ministro Osmar Terra afirmou que a Rede Sarah de Reabilitação pode contribuir com técnicas avançadas no acompanhamento das crianças. “Nós estamos montando um projeto de Centros-Dia de atendimento a essas crianças, em parceria com os ministérios da Educação e Saúde, onde elas possam ter atendimento de ponta, capacitado pelo Sarah. Essas crianças vão ter estimulação, acompanhamento de creche e acompanhamento na área social”, ressaltou.