Vida Urbana

Radiação atinge níveis extremos em João Pessoa

Níveis da radiação vão chegar perto do índice máximo.



O nível de radiação ultravioleta (UV) vai atingir níveis extremos em João Pessoa até o próximo domingo (13), de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Numa escala que vai até 16, a capital deve registrar nível 14 de radiação, índice que pode levar a problemas de saúde.

O Inpe classifica cinco níveis de radiação ultravioleta: baixo (<2), moderado (3 a 5), alto (6 a 7), muito alto (8 a 10) e extremo (>11). A lista de prejuízos da alta exposição aos raios solares e ultravioletas incluem rugas e marcas profundas, envelhecimento da pele, perda de elasticidade, pigmentação excessiva, além do aparecimento de sardas, que pode indicar uma predisposição para o aparecimento do câncer de pele.

Existem dois tipos principais de raios UV para a pele: o UVA, que penetra mais profundamente e é o maior responsável pelo envelhecimento, e o UVB, que penetra menos, e é responsável pelas manchas e pelo câncer de pele. "Os efeitos com o passar do tempo são mais preocupantes e podem ser letais como o câncer de pele, mas também há de se ter cuidado com o fotoenvelhecimento e manchas causadas pelo sol", afirmou a dermatologista Elen Lima de Souza, da rede municipal de saúde.

Para se proteger, além de protetores solares – que devem ser usados de acordo com o tipo de pele -, o uso de roupas apropriadas e acessórios como chapéus e óculos também produzem efeito protetor. “A precaução deve ser feita não só pelas pessoas que gostam de se expor ao sol nas praias. No cotidiano, quem precisa se deslocar também precisa se proteger”, revela Elen Lima.